Presidente do Rio Ônibus publica foto brincando com máscara de uso hospitalar

Presidente do Rio Ônibus publica foto brincando com máscara de uso hospitalar

14 de abril de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – Em meio a pandemia do novo Coronavírus e com a falta de Equipamento de Proteção Individual – EPI, o presidente do Rio Ônibus, que é o Sindicato das empresas de ônibus da cidade do Rio de Janeiro, Claudio Callak, acabou publicando fotos em suas redes sociais, brincando ao usar uma máscara do tipo N95.

Foto: Reprodução de Redes Sociais

No último dia 4 de abril, o presidente da Rio Ônibus, publicou três fotos em um ambiente aparentemente fechado, usando uma máscara N95, segurando uma taça de bebida na mão, escrevendo:“E aí, como é que faz?”. Na última imagem, com a taça mais erguida, a imagem mostra a máscara molhada.

Um dos seguidores de Callak na rede social percebeu a relevância do equipamento utilizado nas fotos: “Ostentação máxima! Máscara N95!”, escreveu o usuário. Outra pessoa elogiou o presidente do Rio Ônibus pela brincadeira: “Você é o melhor”. Ele respondeu: “Obrigado. Nem só de pânico devemos viver”.

Em resposta ao jornal Extra, Callak, apagou as imagens de sua rede sociais e disse que cometeu um “ato falho” ao tentar conscientizar a população sobre a importância do uso do equipamento. Segundo ele, como a atividade do transporte também é essencial, faz uso dos equipamentos de “necessários e disponíveis”. “Claudio Callak tem preocupação redobrada quando volta pra casa todos os dias e num dos poucos momentos de descontração cometeu ato falho ao tentar, em sua rede social, transmitir a mensagem sobre a importância do uso da máscara como recomenda o Ministério da Saúde”, informa a nota.

Na semana passada, o Ministério da Saúde anunciou ter adquirido 40 milhões de máscaras do tipo N95, além de 200 milhões de máscaras cirúrgicas com investimento de R$ 694,3 milhões. A dificuldade de conseguir equipamentos de proteção é tão grande que o Brasil está enviando 40 voos para a China para obter os materiais. As máscaras devem ser suficientes para atender a rede pública de saúde por cerca de 60 dias.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA:

“O presidente executivo do Rio Ônibus, Claudio Callak, através de sua assessoria de comunicação informa que, por estar à frente do sindicato das empresas de ônibus neste momento de guerra ao coronavírus, faz uso de todos os equipamentos de segurança necessários e disponíveis. Assim como os agentes da saúde em todo o Brasil, os rodoviários cumprem papel fundamental neste momento de isolamento social e não podem parar. ​​

Com raríssimas intervalos para descanso, o presidente do Rio Ônibus está em constante contato com agentes do governo, motoristas de ônibus, passageiros, jornalistas etc, e o uso de uma máscara N95 para a proteção dele e de quem está a sua volta é justificável.​

Pai de família, assim como milhares de brasileiros, Claudio Callak tem preocupação redobrada quando volta pra casa todos os dias e num dos poucos momentos de descontração cometeu ato falho ao tentar, em sua rede social, transmitir a mensagem sobre a importância do uso da máscara como recomenda o Ministério da Saúde”.

Com informações do Rio Ônibus e Jornal extra