Ônibus da Buser é apreendido durante fiscalização da ANTT em Uberlândia

Ônibus da Buser é apreendido durante fiscalização da ANTT em Uberlândia

13 de março de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

UBERLÂNDIA – Um ônibus da Empresa Pedra Azul Turismo, que estava fretado para a Buser, acabou sendo apreendido nesta sexta-feira (13), durante uma fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT. De acordo com o órgão federal, o ônibus não tinha autorização para realizar serviço de transporte de fretamento.

Segundo o Diário de Uberlândia, o ônibus seguia fazendo o trecho Apodi – RN x São Paulo, e acabou sendo abordado por volta de 9h na altura do km 73 da BR-050, já na cidade da cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

De acordo com a ANTT, o ônibus apreendido pertence à empresa Pedra Azul Turismo que foi terceirizada pela Buser. No momento da abordagem, o motorista do veículo não apresentou nenhum documento que ligasse o veículo em serviço à Buser, conforme regra prevista na Resolução 4.777/2015.

A norma prevê que esse tipo de serviço oferecido pelo aplicativo Buser pode ser realizado somente por empresas de linha regular. Assim, da forma que o serviço é realizado atualmente, utilizando empresas de fretamento, será considerado nas fiscalizações do órgão sempre como não autorizado.

O veículo ficará apreendido pelo prazo de 72 horas, tendo a liberação condicionada à apresentação das passagens emitidas para o prosseguimento da viagem dos passageiros e do documento emitido pelas instituições credenciadas responsáveis pelos serviços de remoção, guarda e estadia do mesmo.

Transtornos na viagem

Os passageiros que estavam no ônibus fretado pela Buser, foram encaminhados ainda pela manhã, até a Rodoviária de Uberlândia, de onde tiveram que embarcar em um ônibus executivo de outra empresa, para seguir a viagem até São Paulo. Todo o custo da viagem entre Uberlândia e São Paulo, foi pago pela Buser.

Buser se manifesta

A Buser informou que não realiza transporte de passageiros e sim a conexão entre eles e as empresas transportadoras, realizando um rateio entre os passageiros que estão interessados em uma viagem fretada.

A nota segue informando que esse modelo de negócios, além de legal, supre importante demanda social por contribuir com a mobilidade urbana, garantindo viagens mais baratas que as praticadas nas rodoviárias do país.

A plataforma digital afirmou que, assim como a Pedra Azul Turismo, todas as companhias parceiras cumprem as normas de segurança estabelecidas pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), além de contarem com dois motoristas para trechos com mais de 7h de duração, velocidade controlada por satélite e dupla cobertura de seguros, o que é muito mais do que o oferecido pelo setor tradicional.

Por fim, explicou que a Buser não tem veículos. O ônibus apreendido é de propriedade da empresa parceira e a sua plotagem com a marca da startup é uma ação de marketing adotada livremente e sem custos adicionais pelos parceiros.

A Empresa Pedra Azul Ainda não se manifestou sobre o assunto até a publicação desta reportagem, ficado aberto o espaço para futuros esclarecimentos.

Com informações da Polícia Rodoviária Federal, ANTT, Buser e Diário de Uberlândia