Prefeito de Belo Horizonte deve anunciar novo valor da tarifa de ônibus nesta quinta-feira

Prefeito de Belo Horizonte deve anunciar novo valor da tarifa de ônibus nesta quinta-feira

19 de dezembro de 2019 Off Por revistadoonibus

BELO HORIZONTE – Está marcado para às 16h, desta quinta-feira (19), uma entrevista coletiva com o Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, que deverá informar o novo valor da tarifa de ônibus para o ano de 2020. O Prefeito se reúne com técnicos da prefeitura e também com representantes do setor de transporte nesta tarde.

É no mês de dezembro que geralmente o reajuste na tarifa dos ônibus ocorre, exceto dos circulares. Atualmente, o morador de Belo Horizonte paga R$ 4,50 para se locomover nos ônibus municipais. Fontes da Revista do Ônibus acreditam que o reajuste não deve passar de R$ 5,00.

No mês de agosto último, Kalil condicionou o aumento do preço à contratação de 500 cobradores de ônibus.

Insatisfação do usuário

Em agosto deste ano, um grupo de cidadãos apresentou à Câmara de BH um estudo realizado com mais de 10 mil usuários do transporte público na capital. O relatório apontou os maiores entraves e a insatisfações relatados pelos passageiros.

A maior reclamação foi sobre o tempo de espera pelos ônibus. Segundo um dos porta-vozes do grupo, o engenheiro mecânico Walker Matheus Ferreira da Silva, de 27 anos, “a grande maioria dos usuários reclama da longa espera e da falta de atendimento noturno. Nossa proposta é apresentar à BHTrans o estudo que possa diminuir em ao menos 10 minutos o teto operacional das viagens,  dentro do cenário atual e de uma proposta mais equilibrada para a cidade”, aponta.   

A BHTrans informou que o tempo de espera está em 12º lugar entre os assuntos mais reclamados na Gerência de Atendimento ao Usuário (Geatu), canal da BHTrans que recebe as demandas dos usuários.

Um dos itens interessantes que os formulários revelaram é que, pelo desejo do usuário, as 296 linhas hoje operadas pela empresa que gerencia o transporte e o trânsito na capital seriam transformadas em mais de 600.

A falta de cobradores também é uma das reclamações dos usuários, que acreditam que a medida sobrecarrega motoristas e pode gerar acidentes.

Com informações da Prefeitura de Belo Horizonte e BH AZ