Rio Branco: Com baixa arrecadação, transporte entra em colapso

Rio Branco: Com baixa arrecadação, transporte entra em colapso

21 de maio de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO BRANCO – O transporte urbano de passageiros de Rio Branco vive uma das maiores crise doas últimos anos. Nesta terça-feira (19), rodoviários realizaram uma paralisação devido estarem há pelo menos três meses sem receber salários, como informamos aqui. O Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos do Acre – Sindcol, informou que as três empresas que fazem o transporte coletivo em Rio Branco, enfrentam o mesmo problema de atraso de salários por causa da queda da frota circulando e do número de passageiros durante o período de isolamento social por conta da pandemia da Covid-19.

Segundo Aluízio Abade, presidente do Sindicol e que também administra as empresas de ônibus São Judas e Via Verde, antes da pandemia do novo coronavírus, circulavam cerca de 100 mil passageiros nos coletivos, e com o isolamento social, esse número atualmente está em cerca de 20 mil passageiros.

“Essa é a justificativa para atraso de salário, de março e abril que está em aberto ainda e maio já está batendo na porta. As receitas caíram demais por causa da pandemia e os táxis compartilhados e a gente não tá conseguindo assumir o compromisso com o trabalhador”, informa Abade.

Nesta quarta-feira (20), os funcionários da Viação Floresta realizaram mais um protesto reivindicando o pagamento de salários e benefícios. A situação financeira também é semelhantes das outras empresas São Judas e Via Verde.

A Prefeitura de Rio Branco informa que segue tentando medidas para aumentar o isolamento social na capital, como a determinação da redução de 40% da frota de ônibus que segue circulando, já que diversos serviços foram suspenso, como o setor de ensino.

Esta quarta-feira (20), o clima ficou tenso, uma vez que os rodoviários realizaram um protesto em frente ao Terminal Urbano da cidade, e após alguns minutos, seguiram para frente da prefeitura. No período da noite, a categoria ainda seguiu para a garagem da Viação Floresta ameaçando uma nova paralisação se não houvesse o pagamento dos salários em atraso.

A Viação Floresta ainda não se manifestou sobre a situação

Acordo entre empresa e funcionários

O presidente do Sindicato dos Transportes do Acre (Sinttpac), Francisco Marinho, diz que o acordo que a empresa fez com os trabalhadores é de pagar a quantia de R$ 210 para cada motorista na manhã desta quinta-feira (21).

“É o seguinte: a empresa tinha R$ 30 mil e decidiu pagar pela matrícula do pessoal, para começar a pagar hoje, às 11h e amanhã [sexta,22], conforme o arrecadado e continuar pagando, como estavam fazendo antes”, explica.

Marinho afirma que os motoristas ainda cogitam nova paralisação e lamenta a situação delicada pela qual os trabalhadores estão passando.

“Mas, se parar não vai adiantar muita coisa, porque a gente tem buscado toda alternativa junto à prefeitura, também com os vereadores para rever a situação para que venha trazer algum benefício para o transporte. A única coisa que vai resolver é pagar os trabalhadores”, pontua.

Com informações da Prefeitura de Rio Branco, Rede Amazônica e Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos do Acre – Sindcol