BRT Rio volta ter filas longas na Zona Oeste nesta sexta-feira

BRT Rio volta ter filas longas na Zona Oeste nesta sexta-feira

3 de abril de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – A semana vai terminando com os mesmo problemas no Consórcio BRT Rio. Desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (3), imagens de filas imensas foram registradas pela equipe da TV Globo, na estação Santa Cruz do BRT, principal ligação entre o bairro de Santa Cruz até a Barra da Tijuca.

Foto: Reprodução de TV Globo

A fila longa chamou atenção, já que e passageiros não estavam respeitando a distância segura, recomendadas por especialistas, que é de 1,5 metro, para evitar a proliferação do novo coronavírus.

O registro da emissora, foi feito por volta de 6h15, quando os passageiros aguardavam os ônibus. De acordo com os clientes do Consórcio BRT RIO, falta ônibus, para evitar as filas, já que os coletivos, precisam circular apenas com passageiros sentados.

Equipes da Secretaria Municipal de Transportes, com o apoio da Guarda Municipal, estavam no local para organizar o embarque e garantir que os passageiros fizessem o percurso sentados.

Ainda segundo a emissora, apenas por volta de 7h30, a situação melhorou quando a fila apresentava alguns pontos de espaçamento, mas ainda assim registrava aglomeração de passageiros próximo à entrada do terminal em Santa Cruz.

O panorama só melhorou por volta das 7h45, quando os embarques começaram a reduzir a quantidade de pessoas na estação. No mesmo horário, um caminhão da Comlurb chegou ao local e funcionários desinfetaram o chão e superfícies do ponto, como corrimãos e a bilheteria.

Foto: Reprodução de TV Globo

Por causa das reclamações, a prefeitura criou uma comissão para fiscalizar se a determinação de viajar sentado nos BRTs está sendo cumprida.

A concessionária já recebeu 133 multas por descumprir medidas de proteção contra o coronavírus, como informou a Prefeitura do Rio, através da Secretaria Municipal de Transportes.

Serviços essenciais

Desde segunda-feira (23), apenas trabalhadores de serviços considerados essenciais podem embarcar para o Município do Rio (veja a lista abaixo).

  • Servidores públicos (inclusive aqueles relacionados às Forças Armadas, bombeiro militar e agentes de segurança pública);
  • Profissionais da saúde (inclusive individuais que prestem serviços de atendimento domiciliar, menos os serviços de natureza estética);
  • Pacientes em tratamento de saúde, com um acompanhante, desde que estejam com atestado médico, agendamento ou outro documento que comprovem a condição médica;
  • Funcionários de bares, restaurantes e lanchonetes;
  • Empregados de farmácias e drogarias;
  • Trabalhadores de pet-shops e veterinárias;
  • Revendedores de água e gás;
  • Profissionais do setor de serviços, como transporte e logística, limpeza e manutenção;
  • Porteiros e vigilantes;
  • Garis;
  • Profissionais da imprensa e de telecomunicações;
  • Agentes funerários;
  • Frentistas;
  • Funcionários das indústrias de alimentos, farmacêutica, higiene e limpeza.

Com informações da Prefeitura do Rio e TV Globo