BH: Polícia Civil abre inquérito para apurar queima de pneus após morte de mulher

BH: Polícia Civil abre inquérito para apurar queima de pneus após morte de mulher

18 de junho de 2019 Off Por Redação Revista do Ônibus

BELO HORIZONTE – Edi Alves Guimarães, que havia inalado fumaça durante a greve geral no último dia 14, morreu ontem (17) por volta das 14h30, no Hospital Risoleta Neves. Após o ocorrido, a Polícia Civil abriu inquérito para investigar os responsáveis pela queima dos pneus que podem ter causado a morte da mulher.

Segundo o jornal Estado de Minas, a Polícia Civil confirmou que há um inquérito de investigação aberto, mas não deu detalhes. As apurações estão sendo conduzidas pelo delegado da 3ª Delegacia de Polícia Civil Noroeste, Weser Francisco Ferreira Neto.

A mulher de 53 anos era mãe de oito filhos e moradora de Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ela estava dentro de um ônibus indo para o trabalho, quando se intoxicou com a fumaça provocada pela queima de pneus durante a manifestação na avenida Antônio Carlos, próximo à UFMG.

Foto: Reprodução de TV

Edi estava internada desde a sexta-feira (14) em estado grave, com um quadro de parada cardiorrespiratória, mas não resistiu e teve morte encefálica.

O Hospital Risoleta Neves informou, por meio de nota, que as causas da morte ainda vão ser confirmadas pelo Instituto Médico-Legal (IML). Segundo informações, a família da vítima alega que Edi não possuía histórico de doença diagnosticada que possa ter causado complicações em seu quadro. O Hospital destacou, ainda, que a investigação do óbito cabe à Polícia Civil.

Com informações do Minas Mais e Polícia Civil de MG