Mercedes-Benz deve demitir 3,6 mil vagas em São Bernardo do Campo

Mercedes-Benz deve demitir 3,6 mil vagas em São Bernardo do Campo

6 de setembro de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

SÃO BERNARDO DO CAMPO – Uma grande restruturação fará com que a fábrica da Mercedes-Benz, criada em São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo há 65 anos, demita 3,6 vagas de trabalho, um corte de mais de um terço de seu efetivo.

Mercedes-Benz deve demitir 3,6 mil vagas em São Bernardo do Campo - revistadoonibus
Foto: Bloomberg

Atualmente, a Mercedes-Benz, emprega 10,4 funcionários em São Bernardo do Campo, na fábrica de caminhões e chassi para ônibus urbanos e também rodoviários. A fabricante espera eliminar 2,2 mil empregos diretos através do programa de demissão voluntária e outras 1,4 mil vagas de trabalho temporárias que não terão seus contratos renovados, como informa o Valor Econômico.

A mudança ocorre devido ao impacto no mercado global e os 2,2 mil postos de trabalho que serão eliminados em São Bernardo do Campo, são das áreas de ferramentaria, fabricação de eixos e transmissores de caminhões médios, assim como de logística e de manutenção.



Mercedes-Benz deve demitir 3,6 mil vagas em São Bernardo do Campo - revistadoonibus

A Mercedes-Benz, decidiu por terceirizar todas essas atividades que vinha sendo realizadas há décadas por funcionários internos. Em relação a suspensão dos 1,4 mil empregos temporários, a justificativa da fabricante é que há uma expectativa de queda na venda de caminhões no próximo ano.

A partir de janeiro de 2023, entra em vigor no Brasil a nova legislação de missões de poluentes, o Euro 6, o que irá causar aumento no preço de caminhões e chassi para ônibus. Muitos frotistas já estão antecipando a compra de chassi Mercedes-Benz com a tecnologia Euro 5, temendo aumento considerável no valor de venda dos novos chassi urbanos e rodoviários.

De acordo publicação, o processo de terceirização da fabricante de caminhões e ônibus deve durar mais de um ano e que as conversas com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC sobre as demissões já começaram.

Com informações do Valor Econômico