Prefeitura do Rio divulga balanço do acordo judicial no transporte

Prefeitura do Rio divulga balanço do acordo judicial no transporte

3 de agosto de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – A Prefeitura do Rio, informou nesta última segunda-feira (1º), que mm total de 39 linhas e o aumento de cerca de 200 ônibus na frota operante são os principais resultados do primeiro balanço do acordo judicial firmado em 1º de junho.

Prefeitura do Rio divulga balanço do acordo judicial no transporte - revistadoonibus

Ainda segundo o governo municipal, após dois meses, a cidade já conta com com aproximadamente 360 linhas operantes e o cronograma de retorno segue, segundo o compromisso jurídico celebrado entre a Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes – SMTR, com os consórcios de ônibus e o Ministério Público Estadual para melhorias do sistema rodoviário da cidade.

“O sistema de transporte passava por uma crise profunda. Nessa nova fase, estamos fazendo ajustes na operação para a regularização da rede até novembro, com intervalos menores e mais previsibilidade. O objetivo é que, com o auxílio que estamos concedendo sem onerar o passageiro, as empresas possam investir na renovação de frota, na manutenção dos ônibus e na contratação de motoristas para um serviço de transporte mais adequado”, afirmou a secretária municipal de Transportes, Maína Celidonio.



Prefeitura do Rio divulga balanço do acordo judicial no transporte - revistadoonibus

Na primeira quinzena de julho, os ônibus percorreram mais de 1 milhão de quilômetros em comparação à primeira quinzena de junho. E, atualmente, há cerca de 450 pontos de ônibus que voltaram a ter atendimento, de um total de 700 pontos a serem contemplados até o fim do ano, locais estes que não passavam mais ônibus.

A Prefeitura informou que desde a celebração do compromisso, houve o restabelecimento de ligações importantes em bairros e regiões antes sem ônibus. Áreas com serviços de ônibus precários ou desatendidas foram beneficiadas, como Tubiacanga e Aeroporto RioGaleão, na Ilha do Governador; Parque Columbia e Costa Barros; Vila Isabel, Santa Teresa, Alto da Boa Vista e Tijuca (Muda, Usina, Borel); Inhoaíba, Campo Grande (Vila Nova, Salim e Caboclos), Santa Cruz (Base Aérea e Vitor Dumas) e Sepetiba, ligados agora a centralidades e rede de transporte público (trem, BRT); além das Vargens (Estrada do Rio Morto), Curicica, Taquara (Colônia, Pau da Fome), por onde passam linhas alimentadoras de BRT, e Pechincha (Retiro dos Artistas).

Prefeitura do Rio divulga balanço do acordo judicial no transporte - revistadoonibus

Sobre o acordo

O acordo tem o objetivo de normalizar, de forma gradual, as linhas que já estavam em circulação e a retomada de ligações inoperantes prioritárias, visando áreas mais desatendidas por transporte público. Além da receita da tarifa paga pelos passageiros, no valor de R$ 4,05, os consórcios recebem da prefeitura pelo serviço efetivamente prestado, com base no quilômetro rodado e apurado pelo sistema de monitoramento por GPS estruturado pela SMTR.

Ainda segundo a administração municipal, para ter direito ao subsídio de R$ 1,78 por quilômetro, é necessário cumprir diariamente pelo menos 80% da quilometragem definida e o número de viagens planejadas pela SMTR para cada linha, de acordo com o trajeto planejado. Sendo assim, o plano operacional não é feito mais com determinação de frota.

Prefeitura do Rio divulga balanço do acordo judicial no transporte - revistadoonibus

Nesta fase atual de implementação e ajustes do plano operacional, o monitoramento dos veículos por meio do GPS mostra uma evolução gradual da operação das linhas que retornaram, com o cumprimento cada vez maior da exigência de ao menos 80% da quilometragem diária definida e cumprimento do número de viagens previstas.

O acordo é válido até dezembro de 2022 e será readequado em janeiro de 2023. As informações sobre o plano operacional, a operação dos ônibus e o pagamento do subsídio estão disponíveis no site da SMTR.

Com informações da Prefeitura do Rio