Belo Horizonte: Atrasos e ônibus em péssimo estado lideram as queixas dos passageiros

Belo Horizonte: Atrasos e ônibus em péssimo estado lideram as queixas dos passageiros

14 de julho de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

BELO HORIZONTE – Com inúmeros atrasos e ônibus em péssimo estado de conservação, além de superlotação no transporte intermunicipal metropolitano, cresce também o número de reclamações dos passageiros que utilizam os coletivos em Belo Horizonte e na Região Metropolitana.

Belo Horizonte: Atrasos e ônibus em péssimo estado lideram as queixas dos passageiros - revistadoonibus

O governo do estado que há ano anunciou a criação de uma agência reguladora para o setor, como forma de tentar reduzir os problemas e prejuízos no transporte metropolitano, não consegue tirar o projeto do papel.

Dados da Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade – Seinfra, deste ano, o descumprimento de quadro de horários é recordista em reclamações. Em 2021, a média mensal de queixas era de 207 por mês. Até junho deste ano, a média mensal foi de 270 queixas.


Belo Horizonte: Atrasos e ônibus em péssimo estado lideram as queixas dos passageiros - revistadoonibus

O órgão do Governo de Minas informa que o descumprimento de horários pode ser explicado pela redução no número de viagens e também de linhas. Em 2019, a frota era de 2.826 veículos. Já no dia 6 deste mês, eram 2.494 em circulação, uma redução de 332 ônibus.

Ainda segundo a Seinfra, em relação as viagens realizadas teve uma redução de 33,8% nos últimos três anos, onde das 432.961 viagens que eram realizadas diariamente em 2019 caíram para 286.961.

Os passageiros ainda reclamam também do péssimo estado de conservação dos ônibus, com 176 reclamações mensais em média, um valor 50 a mais em relação ao mesmo período comparado ao ano de 2021.

Em seguida no ranking de reclamações, vem o estado de conservação dos veículos. Foram registradas, em média, 176 queixas mensais, 50 a mais em comparação com 2021.

MG: Porta de ônibus que seguia para Belo Horizonte cai durante a viagem - revistadoonibus

Governo do Estado se manifesta

A Seinfra informou que houve uma redução no quadro de horário, devido a baixa demanda de passageiros e que por isso, as mesmas linhas não foram restabelecidas de antes da pandemia. Eram 669 e, agora, são 621.

Ainda de acordo com o Governo de Minas, em média, eram transportados 850 mil passageiros diariamente, número que chegou ser reduzido para 175 mil por dia e, atualmente, está em 620 mil.

Em relação as reclamações de superlotação nos ônibus, esse número diminuiu de 220, no ano passado, para 106 mensais neste ano.

Com informações do Governo do Estado de Minas e TV Globo Minas