São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial

São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial

3 de julho de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

SÃO VICENTE – Uma decisão liminar do Tribunal Regional do Trabalho – TRT, determinou que os rodoviários permaneçam com 70% da frota de ônibus municipais em São Vicente, circulando nos horários de pico, entre às 6h à s9h e das 16h às 19h, e com 50% da frota nos demais horários.

São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial - revistadoonibus

Na manhã deste domingo (3), já foi possível ver parte dos ônibus circulando na cidades, depois que os funcionários das empresa Otrantur, concessionária do serviço de transporte público de São Vicente voltaram ao trabalho.

Uma assembleia que foi realizada neste último sábado (2), a categoria decidiu por seguir a determinação judicial, como informou o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região, tornando a paralisação parcial na cidade.



São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial - revistadoonibus

A crise no transporte municipal vem se agravando, já que segundo o Sindicato, antes da paralisação, a empresa de ônibus seguia operando as linhas em São Vicente com 20% da frota, pois dava 40 folgas diárias aos funcionários. “Isso caracteriza o desrespeito ao contrato revogado pela prefeitura”, afirmou o sindicato, em nota. A porcentagem dos veículos que voltou a circular foi baseada no número que estava operando antes da greve. Com isso, cerca de 15 ônibus estão de volta às ruas.

Uma nova audiência de instrução e conciliação no Tribunal Regional do Trabalho em São Paulo agendada para ocorrer na próxima segunda-feira (4), pode decidir sobre a situação do transporte em São Vicente.

São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial - revistadoonibus

Prefeitura anuncia a rescisão do contrato

Na última sexta-feira (1º), como mostra o Boletim Oficial da cidade de São Vicente, o prefeito Kayo Amado (PODE) assinou o decreto nº 5871, determinando a rescisão de contrato com a Ontratur. O documento também exige que os serviços sejam mantidos por 30 dias, para garantir que a população não fique sem o transporte público.

O prefeito já anunciou através de uma live, sobre o processo de rescisão, depois do término da sessão especial para prestação de contas na Câmara Municipal, nesta sexta-feira.

São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial - revistadoonibus

A Prefeitura de São Vicente afirma que a rescisão do contrato com a empresa de ônibus ocorre diante de todas as violações contratuais identificadas em diligência realizada pelo Departamento de Trânsito da Secretaria de Defesa e Ordem Social (Sedos) na sede da empresa.

Ainda segundo a administração municipal, a Prefeitura de São Vicente disse que notificará o sindicato da categoria para assegurar contingentes de trabalhadores necessários para a circulação de 100% da frota da concessionária no horário de pico, das 6h às 9h e das 16h às 19h. Além de 60% nos demais horários.

São Vicente: Rodoviários retomam operação municipal, após decisão judicial - revistadoonibus

Otrantur se manifesta sobre a situação

A Otrantur afirmou que está adotando as medidas necessárias para garantir o atendimento à população e espera que as reivindicações sejam atendidas com urgência.

“Temos buscado o diálogo e a construção de um acordo junto aos mais de 220 colaboradores que compõem os quadros desta concessionária, pois entendemos da urgência de solucionar o problema, e nosso empenho está em quitar os valores em aberto ainda durante o final de semana”, informou a empresa, em nota.

A Otrantur informou ainda que a falta de ação da atual administração tem levado a concessionária ao colapso financeiro. Segundo a empresa, há um desequilíbrio contratual desde de março de 2020 e por diversas oportunidades foi reforçada a necessidade da adoção de medidas.

Ainda segundo a Otrantur, houve a contratação de um estudo técnico em março de 2022. Porém, de acordo com a empresa, até o momento não houve a emissão da Ordem de Serviço (OS) por parte da secretaria de Defesa e Ordem Social para que se inicie o trabalho.

Com informações da Prefeitura de São Vicente, Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e TV Tribuna