Governo do Espírito Santo veta o uso do Pix e Picpay no Sistema Transcol

Governo do Espírito Santo veta o uso do Pix e Picpay no Sistema Transcol

16 de abril de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

VITÓRIA – Os moradores de Vitória e cidades da Região Metropolitana que utilizam os ônibus intermunicipais do sistema Transcol e que aguardavam usar o pagamento por Pix e Picpay, terão que aguardar um novo período, mesmo após a Assembleia Legislativa aprovar o projeto que liberava o pagamento da  tarifa do Transcol por meio dessas novas tecnologias, já que o Governo do Estado decidiu vetar a nova lei. 

Governo do Espírito Santo veta o uso do Pix e Picpay no Sistema Transcol - revistadoonibus

A decisão do governo capixaba foi publicada nesta última quinta-feira (14) e chamou a atenção dos usuários do transporte intermunicipal que aguardavam ansiosos para utilizar os ônibus realizando o pagamento da tarifa com as novas tecnologias.

O deputado estadual Bruno Lamas, informou por meio de nota que vai analisar com sua equipe sobre o veto do governador.

 “O passageiro que sobe no ônibus só pode pagar com o cartão da GV, do tipo Cidadão (Pague Fácil). Para adquirir, o cidadão tem de se dirigir a um dos pontos de atendimento do GV Bus com R$ 10 para ser convertido em crédito. Se ele não tem o cartão no ônibus, é obrigado a descer do veículo”, contou o deputado.



Vitória: Aprovadas novas formas de pagamento nos ônibus do Transcol - revistadoonibus

Assembleia Legislativa do Espírito Santo – ALES, informou que os deputados aprovaram, com emenda, o Projeto de Lei (PL) 325/2021, de Bruno Lamas – PSB, que aumenta as maneiras de pagamento de passagens no transporte público estadual e metropolitano, como por meio de carteiras eletrônicas. A matéria foi acatada junto com outras duas na sessão ordinária híbrida da Ales desta segunda-feira (28) de março.

A Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura informou que somente o CartãoGV permite realizar as conexões (segundo embarque gratuito), ferramenta muito importante na realização dos deslocamentos metropolitanos,  principalmente para os passageiros de Vitória e Viana, que não possuem terminal.

Com informações da Assembleia Legislativa do Espírito Santo e Semob