Licitação para compra de ônibus escolar acima do valor de mercado acende alerta em Brasília

Licitação para compra de ônibus escolar acima do valor de mercado acende alerta em Brasília

3 de abril de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

BRASÍLIA – A licitação para a compra de ônibus e micro-ônibus escolar pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, que está agendas para ocorrer nesta próxima terça-feira (5), vem chamando a atenção da imprensa e dos políticos.

Licitação para compra de ônibus escolar acima do valor de mercado acende alerta em Brasília - revistadoonibus

De acordo com o Estadão, os veículos propostos na licitação custam cerca de R$ 270,6 mil no mercado, porém, no processo de licitação, os coletivos estão com previsão de pagamento no valor de R$ 480 mil por cada veículo, uma diferença de R$ 232 milhões no processo de licitação, o que chamou a atenção de alguns políticos no Congresso Nacional, em Brasília.

O Senador, Marcelo Castro – MDB-PI que é o presidente da comissão de Educação no Senado Federal, informou que estará cobrando esclarecimento sobre essa diferença de valores e pedirá uma apuração rigorosa.



Licitação para compra de ônibus escolar acima do valor de mercado acende alerta em Brasília - revistadoonibus

“As denúncias que estão sendo divulgadas, se confirmadas, são crimes praticados com o dinheiro público. Primeiro, o pedido de propina, por pastores, para a liberação de verbas do ministério. E, agora, o superfaturamento em licitações para a compra de ônibus escolares”, afirmou.

“Isso demonstra o descaso e a forma irresponsável com que está sendo tratada a educação brasileira, comprometendo o futuro do nosso país. Vamos trabalhar incansavelmente para que esses escândalos não fiquem impunes!”, acrescentou.

Licitação para compra de ônibus escolar acima do valor de mercado acende alerta em Brasília - revistadoonibus

Por outro lado, Ivan Valente que é deputado federal pelo PSOL-SP, já teria entrado com pedidos no Ministério Público e no Tribunal de Contas da União – TCU para que a licitação seja barrada.

O Ministério da Educação e o Palácio do Planalto ainda não se manifestaram sobre as denúncias.

Com informações do Estadão, Jovem Pan e Rádio Band News FM