Rio: Eduardo Paes anuncia plano de contingência para minimizar impactos da greve de ônibus

Rio: Eduardo Paes anuncia plano de contingência para minimizar impactos da greve de ônibus

29 de março de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – O Prefeito do Rio, Eduardo Paes, informou durante entrevista ao programa Bom Dia Rio, da TV Globo, que um plano de contingência foi criado pela prefeitura como forma de tentar minimizar os impactos da paralisação dos rodoviários que se iniciou às 0h desta terça-feira (29).

Rio: Eduardo Paes anuncia plano de contingência para minimizar impactos da greve de ônibus - revistadoonibus
Foto: Reprodução de TV

Até às 7h da manhã de hoje, nenhum ônibus do BRT Rio circulava e os demais coletivos do modelo convencionais tinha 60% da frota circulando na cidade, como informou o Rio Ônibus.

“Quando se tem uma paralisação dessas, é evidente que o transporte, que não está bom, acaba sendo afetado. É um dia difícil. Anunciamos desde ontem o plano de contingência, mas o plano de contingência não substitui o sistema“, disse Eduardo Paes.



Rio: Eduardo Paes anuncia plano de contingência para minimizar impactos da greve de ônibus - revistadoonibus
Foto: Reprodução de TV

O prefeito do Rio afirmou ainda que o plano de contingência está baseado no fornecimento de ônibus diretos – os chamados ‘Diretões’ – em substituição aos articulados do BRT.

“O que estamos buscando é colocar os diretões, fazendo uma busca, principalmente na Transoeste, onde ficam os BRTs com maiores distâncias. Mas é óbvio que, numa situação dessas, o serviço é muito prejudicado”.

Rio: Eduardo Paes anuncia plano de contingência para minimizar impactos da greve de ônibus - revistadoonibus
Foto: Reprodução de TV

O prefeito questionou o fato de a greve ter afetado principalmente os motoristas do sistema BRT.

“Mais uma vez, estranhamente nenhum motorista apareceu. É curioso que param apenas os ônibus do BRT. O que vivemos hoje são os motoristas de BRT inacessíveis neste momento. É a única categoria que está nessa inacessibilidade toda. Quero lembrar: é a categoria mais bem remunerada, acabaram de receber uma indenização e estão com os salários e direitos em dia”.

Paes falou que não descarta a possibilidade de demissões de rodoviários, mesmo não optando por esse caminho por enquanto.

“Quem não aparece para trabalhar pode ser demitido pelas regras da legislação trabalhista – embora não queiramos demitir ninguém. Agora, não é inteligente ficar esticando essa corda. O que pode acontecer é a gente ficar alugando ônibus dessas empresas que criaram problemas no sistema”.

Com informações da Prefeitura do Rio e TV Globo