Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia

Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia

22 de março de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

TERESINA – A paralisação dos rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia prejudicando a mobilidade urbana da cidade, ganhando o cenário nacional, quando na manhã desta terça-feira (22), a hastag #SOSTEresina figurou no topo dos trending topics nacionais do Twitter.

Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia - revistadoonibus

A Prefeitura de Teresina informou que respeita o direito à opinião, e disse que a paralisação dos rodoviários ocorre devido a relação trabalhista entre os rodoviários e os empresários do transporte municipal.

A administração municipal já cadastrou cerca de 250 veículos alternativos como forma de atender aos passageiros dos mais diversos bairros de Teresina ao longo da paralisação, que ainda não possui data para terminar.



Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia - revistadoonibus
Foto: Reprodução de Redes Sociais

Nas redes sociais e também em grupos de mensagens por aplicativos, os moradores repercutem a paralisação, como podemos ver mais abaixo.

Desde às 11h da manhã de hoje, a hashtag #SOSTeresina segue na primeira posição no ranking nacional do Twitter, com quase 4,5 mil tweets sobre o assunto.

O Prefeito de Teresina Dr. Pessoa – Republicanos, disse durante uma entrevista nesta última segunda-feira (21), que o transporte de passageiros da capital é um “câncer enraizado”.

“34 anos ficamos nesse ‘lenga-lenga’, […] em um ano não dá para resolver o problema. […] O câncer, quando está enraizado, é difícil se extirpar. Estou falando agora como médico. Esse câncer aí é crônico. Por isso estamos trabalhando de manhã de tarde e de noite para resolver”, disse Dr. Pessoa.

Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia - revistadoonibus

Setut se manifesta sobre a paralisação

O Sindicato das Empresas do Transporte Urbano de Teresina – Setut informou por meio de nota que a paralisação dos rodoviários iniciada nesta última segunda-feira (21), ocorreu após a Prefeitura de Teresina não ter cumprido com os acordo que foram firmados no final de 2021, o que impediu que as empresas de ônibus pudessem chegar em um acordo com os funcionários.

Os ônibus ficaram parados nas garagens nesta última segunda-feira (21), prejudicando milhares de moradores da cidade.

Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia - revistadoonibus

O Tribunal Regional do Trabalho do Piauí, determinou ainda nesta última segunda-feira (21), que 80% dos ônibus da frota urbana do transporte municipal de Tersina passe circular nos horários de pico e que nos demais horários, sejam disponibilizados 60% da frota sob pena de R$ 50 mil diários em caso de descumprimento.

A determinação foi dada peal desembargadora Liana Chaib, após ação do sindicato dos empresários do transporte.

De acordo com Antônio Cardoso que é o presidente do Sintetro, os salários dos trabalhadores do setor estão congelados desde 2019, e em 2020 os trabalhadores ficaram sem ticket alimentação e plano de saúde.

A capital tem atualmente, segundo o sindicato dos trabalhadores e dos empresários, 200 ônibus disponíveis. Nos horários de pico, então, 160 devem circular. Nos demais, 120 devem sair às ruas para atender a população.

A Superintendência de Transporte e Trânsito – Strans informou que 250 veículos alternativos foram contratados para substituir os ônibus durante o movimento grevista.

Paralisação de rodoviários de Teresina segue pelo segundo dia - revistadoonibus

Prefeitura de Terssina emite nota sobre a paralisação

Sobre um movimento na internet relacionado à greve dos motoristas e cobradores de ônibus, a Prefeitura de Teresina ressalta que apoia a democracia e que respeita o direito à opinião. A Prefeitura mantém diálogo permanente com trabalhadores e empresários na busca de soluções para o impasse.

Embora o motivo da greve seja ocasionado pela relação trabalhista entre motoristas e cobradores do sistema de transporte público e empresários, a Prefeitura de Teresina, desde que a paralisação foi anunciada, tomou providências para amenizar seus impactos.

O Tribunal Regional do Trabalho determinou, na noite dessa segunda-feira, 21, a volta da circulação dos ônibus com 80% da frota em horários de pico e de 60% no período entrepico.

A Strans cadastrou 250 veículos alternativos para atender à população durante o movimento grevista. Além disso, será implantado, na próxima semana, o serviço de táxi-lotação que também dará suporte para o transporte público de Teresina. Este serviço já vem sendo implantado de forma exitosa em outras capitais do país.


Com informações da Prefeitura de Teresina, Setut, Sintetro e TV Clube