Grupo Itapemirim anuncia suspensão da operação de seu banco digital

Grupo Itapemirim anuncia suspensão da operação de seu banco digital

27 de fevereiro de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

SÃO PAULO – O Grupo Itapemirim que segue em recuperação judicial desde 2016 e que vem protagonizando vários problemas no setor aéreo e rodoviário, informou nesta última sexta-feira (25), a suspensão das operações do ITA Bank, que irá ocorrer a partir do dia 7 de março.

Grupo Itapemirim anuncia suspensão da operação de seu banco digital - revistadoonibus
Foto: Divulgação

Os clientes foram informados através de um aviso que foi enviado pelo sistema de push do aplicativo do ITA BANK que pediu que todos os correntistas para que possam transferir o saldo por PIX ou por TED para outra instituição financeira.

Lançado em outubro de 2021, quase dois meses antes do fim da operação do braço aéreo do Grupo Itapemirim ter deixando milhares de clientes sem atendimento em todo o Brasil, quando no dia 17 de dezembro, a Itapemirim Transportes Aéreos, acabou deixando de operar.


Grupo Itapemirim anuncia suspensão da operação de seu banco digital - revistadoonibus

Nem o site e nem os perfis nas redes sociais do ITA Bank informaram sobre a suspensão. No Instagram e no Facebook, a postagem mais recente do banco é de 28 de outubro.

Na semana passada, uma juíza de São Paulo afastou o empresário Sidnei Piva do comando do grupo e determinou que ele use tornozeleira eletrônica. A decisão ocorreu em resposta a uma reclamação criminal feita por Camilo Cola Filho, filho do antigo dono do grupo, Camilo Cola.


São Paulo: Sidnei Piva é afastado da Itapemirim e terá que usar tornozeleira eletrônica - revistadoonibus
Foto: Divulgação

O empresário Sidnei Piva de Jesus, que administrava o Grupo Itapemirim que está em recuperação judicial, cuja a dívida é de cerca de R$ 253 milhões aos credores e ainda uma dívida de mais de R$ 2,2 bilhões em relação aos tributos, está afastado das empresas de ônibus.

A juíza Luciana Menezes Scorza do Departamento de Inquéritos Policiais, do Tribunal de Justiça de São Paulo, passou determinar o afastamento de Sidnei Piva de Jesus da administração do Grupo Itapemirim. A magistrada ainda determinou que o empresário da Itapemirim entregue seu passaporte e passe usar tornozeleira eletrônica e ainda venha se apresentar à Justiça uma vez por semana, não sair do país (a não ser por autorização judicial), e informar o endereço onde vive regularmente ao judiciário.

São Paulo: Sidnei Piva é afastado da Itapemirim e terá que usar tornozeleira eletrônica - revistadoonibus

Segundo a magistrada, há indícios que Piva se apropriou “de valores das empresas ‘recuperandas’ para criar empresas paralelas, notadamente, no caso dos autos, a Itapemirim Aérea (grupo ITA), que gerou prejuízos milionários para, pelo menos 45.000 passageiros e inúmeros tripulantes que se viram despojados de seus direitos trabalhistas”, escreveu em seu despacho.

A suspeita, ainda segundo a magistrada, é que Piva teria usado R$ 32 milhões da recuperação judicial para criar a Itapemirim Transportes Aéreos-ITA, que parou de voar em 17 de dezembro de 2021.

O Grupo Itapemirim ainda não se manifestou sobre o afastamento do empresário Sidnei Piva, até a publicação desta reportagem.

Com informações da Band News, InfoMoney, Poder 360 e UOL