Belo Horizonte: Kalil quer enviar aporte de até R$ 156 milhões por ano às empresas de ônibus

Belo Horizonte: Kalil quer enviar aporte de até R$ 156 milhões por ano às empresas de ônibus

16 de fevereiro de 2022 Off Por Redação Revista do Ônibus

BELO HORIZONTE – A crise no transporte no transporte municipal de Belo Horizonte, deve ganhar nos próximos dias um no capítulo, isso, porque, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil – PSD, encaminhou à Câmara Municipal de Belo Horizonte o projeto de lei que prevê um aporte de até R$ 156 milhões por ano às empresas de ônibus que operam na capital.

Belo Horizonte: Kalil quer enviar aporte de até R$ 156 milhões por ano às empresas de ônibus - revistadoonibus

O governo municipal em nenhum momento, menciona a redução no valor da tarifa dos ônibus em R$ 0,20, contrariando o que foi anunciado em dezembro do ano passado. Hoje, os moradores de Belo Horizonte, seguem pagando o valor de R$ 4,50 pela tarifa dos coletivos que atendem as linhas municipais.

A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte – BHTrans, realizou um estudo que aponta cálculos para se chegar ao valor do repasse. Tal estudo também foi encaminhado junto com o Projeto de Lei. Segundo o documento, a justificativa dada para fazer o repasse é garantir a modicidade tarifária.


Belo Horizonte: Kalil quer enviar aporte de até R$ 156 milhões por ano às empresas de ônibus - revistadoonibus

O aporte será feito mensalmente, levando em conta os passageiros que têm direito à gratuidade – e são registrados pela catraca. E também vai considerar a compensação das tarifas sociais em relação ao valor preponderante.

É como se todas as passagens de BH passassem a custar R$ 4,50, mas quem vai arcar com a diferença entre as tarifas menores e este valor é a prefeitura e, não, o passageiro.

No caso de ônibus circulares ou alimentares, cuja passagem é de R$ 3,15, o passageiro segue pagando este valor e a prefeitura repassa, às empresas, a diferença de R$ 1,35.

Belo Horizonte: Kalil quer enviar aporte de até R$ 156 milhões por ano às empresas de ônibus - revistadoonibus

A contribuição mensal, segundo o PL, deve girar em torno de R$ 13 milhões e vai depender de disponibilidade orçamentária.

Ainda de acordo com o projeto de lei, as empresas deverão encaminhar, mensalmente, relatórios

O texto ainda afirma que não será aplicada a fórmula paramétrica para reajuste da tarifa neste ano.

A Prefeitura de Belo Horizonte ainda não se manifestou como foi feito os cálculos para chegar ao valor de R$ 0,20.

Com informações da Band News e TV Globo