Últimas:
Rio Branco: Rodoviários seguem com paralisação pelo segundo dia

RIO BRANCO – Os rodoviários de Rio Branco entram no segundo dia de paralisação deixando milhares de moradores sem transporte. Logo pela manhã, o Terminal Urbano de Rio Branco, amanheceu vazio. A paralisação da categoria, começou na madrugada desta última segunda-feira (20), devido ao atraso no pagamento de salários e de benefícios.

Rio Branco: Rodoviários seguem com paralisação pelo segundo dia - revistadoonibus

Segundo os funcionários das empresas de ônibus, os empresários não estão pagando os salários desde o mês de janeiro. Os repasses que estavam recebendo desde então eram do governo federal, que fazia o pagamento de 70% dos salários e a empresa teria que pagar os outros 30%, mas segundo a categoria, isso nunca aconteceu.

De acordo com Francisco Leite Marinho, que é presidente do Sindicato dos Transportes do Acre – Sinttpac, a entidade está em tratativas para tentar resolver a situação e a categoria voltar com as atividades. Segundo ele, estão paralisados os motoristas da empresa Auto Viação Floresta. Já os trabalhadores da Via Verde e São Judas Tadeu seguem com as atividades, com cerca de 25 ônibus.

Rodoviários de Rio Branco iniciam paralisação nesta manhã - revistadoonibus

Rio Branco segue com a CPI do Transporte

No último dia 14 de setembro, a Câmara Municipal de Rio Branco, instalou a Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI do transporte público, com escolha da presidente, vice-presidente, relator membros titulares e membros suplentes que devem comandar as investigações.

De acordo com a Câmara Municipal, a nova comissão terá um prazo de 180 dias para desenvolver suas atividades e fazer relatório. O pedido de abertura da CPI do transporte público foi um pedido da vereadora Michele. O requerimento foi protocolado na Câmara e aceito, por 12 votos, pelos vereadores no dia 24 de agosto.

A CPI deve apurar pelo menos cinco pontos que envolve o transporte público na capital acreana. Entre eles estão:

  • Razões das elevadas tarifas e os custos dos transportes coletivos urbanos;
  • Condução do contrato de concessão com as atuais empresas prestadoras;
  • Legalidade e eficácia dos atos de definições tarifárias e dos subsídios públicos (tributos e tarifários) às empresas detentoras da respectiva concessão;
  • Diminuição da Frota de ônibus sem explicações concretas, causando prejuízos aos usuários;
  • Endividamento trabalhista junto aos colaboradores das empresas prestadoras;

Os vereadores irão fazer uma investigação sobre as elevadas tarifas propostas pelas empresas prestadoras do serviço. A proposta é pedir todas as planilhas de custos, subsídios e tarifas para as empresas.

A Auto Viação Floresta ainda não se manifestou sobre a denúncia dos rodoviários, até a publicação desta reportagem.

Com informações da Câmara Municipal de Rio BrancoRede Amazônica e Sindicato dos Transportes do Acre – Sinttpac

%d blogueiros gostam disto: