Últimas:
Ações da Marcopolo – POMO4 caem até 7% apesar do lucro aumentar no 2º trimestre, diz InfoMoney

CAXIAS DO SUL E SÃO PAULO – A fabricante de ônibus Marcopolo, considerada uma das maiores do setor, teve uma queda expressiva de até 7% na Bolsa de Valores. A Marcopolo – POMO4, que chegou ter uma lata no lucro, passando de R$ 5,4 milhões para 203,3 milhões na comparação anual, no segundo semestre de 2021, parece não ter bons resultados com investidores, já que as ações chegaram cair 7% da mínima do dia, como informou o portal InfoMoney. De acordo com a publicação, às 13h10, a queda nas ações da Marcopolo POMO4 era de de 5,73%, a R$ 2,96, número considerado baixo, por alguns analistas de mercado.

Ações da Marcopolo - POMO4 caem até 7% apesar do lucro aumentar no 2º trimestre, diz InfoMoney - revistadoonibus

Acredita-se que tal movimento esteja ligado a forte alta do lucro da fabricante de ônibus tenha sido decorrente do resultado financeiro, positivo em R$ 182,7 milhões, revertendo o resultado negativo de R$ 16,9 milhões no mesmo trimestre de 2020. Em boa parte, foi motivado pelos créditos por conta da exclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo do PIS/Cofins, que contribuiu positivamente para o resultado em R$ 166,2 milhões.

De acordo com o Itaú BBA, os dados operacionais foram fracos, já que os números da fabricante de ônibus seguiam a tendência já vista nos primeiros três meses do ano com a produção em níveis baixos e margens comprimidas.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês), de R$ 140 milhões no segundo trimestre, refletiu uma série de eventos, muitos não-recorrentes. Fazendo os ajustes, o Ebitda seria negativo em R$ 6 milhões, aponta o Credit Suisse, ficando abaixo da estimativa do banco suíço de R$ 22 milhões, como aponta o InfoMoney.

Ações da Marcopolo - POMO4 caem até 7% apesar do lucro aumentar no 2º trimestre, diz InfoMoney - revistadoonibus

Em meio aos resultados operacionais que foram considerado fracos, a Marcopolo vem se mostrando confiante na retomada do setor no fim do terceiro trimestre e início do quatro trimestre ainda deste ano.

De acordo com alguns analista do BBA, a segunda onda da Covid-19, pode ter contribuído para uma recuperação fraca nas vendas de ônibus no segundo trimestre, não só no Brasil, mas também nas vendas para empresas de ônibus no exterior. Ainda segundo os analistas, as vendas de ônibus para o mercado nacional voltados para o fretamento foram dominantes no segmento intermunicipal, se tornando um resultado de um mix pior. Os analistas afirmam ainda que os ônibus da marca Volare segue com desempenho positivo, sustentados pelo programa federal “Caminho da Escola”.

Com o cenário menos favorável ao câmbio juntamente com a fraca venda de ônibus ao exterior, em relação aos períodos anteiores da pandemia, a margem bruta acabou sendo pressionada. Outros motivos que contribuíram para a pressão de margem foram os volumes baixos, um portfolio de produtos modesto e custos não-recorrentes relacionados à reestruturação da força de trabalho. Excetuando-se esse último ponto, a margem bruta teria sido de 8,3%.

“Continuamos acreditando que as ações da Marcopolo devem ter um desempenho em linha com o mercado. Apesar das expectativas para o futuro parecerem promissoras, nossas projeções atuais são de múltiplos pouco atrativos”, avalia o Itaú BBA, que tem recomendação marketperform (desempenho em linha com a média do mercado) e preço-alvo de R$ 3,20 para os ativos, ou um valor 1,9% superior frente o fechamento da véspera.

Ações da Marcopolo - POMO4 caem até 7% apesar do lucro aumentar no 2º trimestre, diz InfoMoney - revistadoonibus

Além dos créditos tributários não recorrentes, o Bradesco BBI destacou que outros destaques do balanço ficaram para as novas entregas do programa “Caminho para a Escola”, previstas para o quarto trimestre de 2021 e a empresa mantendo investimentos para lançamento de novos produtos. Contudo, a recomendação do banco para a ação segue de venda, com preço-alvo de R$ 3 para 2022, ou queda de 4,5% em relação ao fechamento de segunda.

Em meio ao cenário que desfia a fabricante de ônibus, a Marcopolo mantem seu investimento no desenvolvimento de novos produtos, como os veículos New Attack para a família Volare, o Viaggio 800 para fretamento e o modelo G8 para ônibus rodoviários.

O Credit Suisse também tem recomendação equivalente à venda (underperform, desempenho abaixo da média do mercado) para POMO4, com preço-alvo de R$ 2,50, valor 20% menor em relação ao fechamento da véspera.

Os analistas apontam que os resultados do trimestre, ainda que fracos, foram auxiliados pela entrega de 368 unidades do Caminho da Escola. Porém, a maior parte já foi entregue no primeiro trimestre.

Com informações do InfoMoney

%d blogueiros gostam disto: