Últimas:
Teresina: CPI do Transporte encontra garagens fechadas durante fiscalização

TERESINA – O presidente da CPI do Transporte de Teresina, o vereador Dudu Borges – PT, realizou nesta última quinta-feira (1º) as garagens de ônibus das empresas que operam junto ao Consórcio Teresina, que operam linhas municipais na capital, para que possa fazer uma fiscalização no local sobre o sistema de bilhetagem eletrônica. A visita do parlamentar foi acompanhada por representantes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito – Strans.

Teresina: CPI do Transporte encontra garagens fechadas durante fiscalização - revistadoonibus

O vereador Dudu Borges, informou que constatou o grande estado de abandono das garagens dos ônibus, com o fechamento de algumas delas e sem a presença de funcionários.

“No Consórcio Theresina, por exemplo, que atua na zona Sudeste, a garagem está fechada. Não encontramos trabalhadores que operam os ônibus ou funcionários da administração, apenas o vigilante. Em outras encontramos menos da metade dos ônibus em circulação”, denunciou Dudu.

Rodoviários de Teresina realizam manifestação e paralisam o transporte nesta manhã - revistadoonibus

Ainda de acordo com Borges, a visita in loco mostra o que as denúncias junto a CPI do Transporte, já vinha sendo noticiada.

“Precisamos realmente avançar muito para que a gente possa devolver um transporte de qualidade e que atenda aos anseios da população. Que volte gerar emprego, alavancar econômica que precisa muito desse transporte público. Cumprimos uma das etapas de ações externas da CPI”, finalizou Dudu.

Rodoviários de Teresina realizam manifestação e paralisam o transporte nesta manhã - revistadoonibus

SETUT se manifesta

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina – SETUT esclarece que os ônibus em funcionamento estão sendo disponibilizados em quantidade superior à demanda apresentada. Pela demanda atual, a frota a ser operada deveria ser de, no máximo, 30% da normal e os consórcios ainda estão conseguindo operar, mesmo sem nenhum repasse da Prefeitura, com quase 50% da frota normal de 394 ônibus.

A entidade repudia ainda o destacado interesse político que o presidente da CPI, vereador Edilberto Borges tem demonstrado quando aborda qualquer assunto referente ao setor, e reitera que as empresas podem disponibilizar maior quantidade de ônibus para circulação, desde que os subsídios sejam pagos pela Prefeitura, para a rodagem dos veículos, independente de ter ou não demanda suficiente, como informou a nota do Setut.

Com informações da CPI do Transportes de Teresina e Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina – SETUT

%d blogueiros gostam disto: