Últimas:
Curitiba: Três funcionários da Transportes Glória morrem no mesmo dia pela Covid-19

CURITIBA – A pandemia da Covid-19 segue fazendo novas vítimas em Curitiba. Nesta última terça-feira (15), três funcionários da empresa de ônibus Transporte Coletivo Glória, que opera diversas linhas municipais em Curitiba, morreram no mesmo dia, devido as complicações da Covid-19. Ambos foram internados em diferentes datas, e acabaram morrendo no mesmo dia, gerando intensa comoção entre os funcionários da empresa de ônibus.

Curitiba: Três funcionários da Transportes Glória morrem no mesmo dia pela Covid-19 - revistadoonibus

Segundo Anderson Teixeira que é presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana – Sindimoc, a empresa Glória é a maior do sistema de transporte, o que contribui para a triste coincidência.

“Eram funcionários que já estavam hospitalizados e acabaram morrendo no mesmo dia. A Glória tem três garagens e é a maior do transporte coletivo, por isso acaba tendo maior incidência de casos pela covid-19. Proporcionalmente, eu posso informa que não é a que tem mais casos e mortes”

Teixeira informou ainda a expectativa pelo início da vacinação dos motoristas e cobradores, para que as mortes parem de acontecer.

“Estamos pedindo há muito tempo e só agora veio a promessa do lote da Janssen e a vacinação deve ocorrer nos próximos dias. Vamos aguardar. porque a expectativa é essa”

Curitiba: Três funcionários da Transportes Glória morrem no mesmo dia pela Covid-19 - revistadoonibus

A identidade dos funcionários que vieram ao óbito devido as complicações da Covid-19, não foi informada. O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana – Sindimoc, afirma que os rodoviários segue muito expostos no transporte, mesmo com os coletivo circulando apenas com passageiros sentados.

“Acreditamos que o trabalhador do transporte coletivo está exposto independente da lotação, porque uma pessoa com covid vai ter o contato com o motorista ao acessar o ônibus e o cobrador ao pagar a passagem. Óbvio que se estiver lotado, o risco é maior, mas não é só isso que o coloca na linha de frente”, disse Anderson Teixeira.

Com informações do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana – Sindimoc

%d blogueiros gostam disto: