Rio: Retorno das linhas da Viação Acari seguem sem definição na cidade

Rio: Retorno das linhas da Viação Acari seguem sem definição na cidade

3 de maio de 2021 0 Por Redação Revista do Ônibus

RIO – Depois que funcionários da Viação Acari realizam uma paralisação na última sexta-feira 28 de abril, quando houve o anúncio do fechamento da empresa de ônibus e que a direção demitirá 600 funcionários nos próximos dias, a situação das linhas municipais que a empresa de ônibus operava ainda seguem sem definição.

A Viação Acari é a 17ª a falir num prazo de seis anos. Os ônibus da empresa eram responsáveis pelo transporte de milhares de passageiro de oito linhas municipais que ligavam os bairros da zona norte, sul e também o centro do município do Rio de Janeiro. A empresa que possui uma frota de 150 ônibus.

Nesta segunda-feira (3), o  Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro – Rio Ônibus, emitiu um comunicado que ainda não há nenhuma previsão para que sejam restabelecido os serviços que eram prestados pela Viação Acari, como podemos ver abaixo.

A crise extrapola o poder de ação dos consórcios e busca participação da Prefeitura na busca por soluções, já que outras viações se encontram na mesma situação da Acari. O Rio Ônibus já solicitou reunião com a SMTR. A paralisação dos rodoviários na sexta-feira precipitou o encerramento das atividades da empresa, cujas linhas não têm previsão de restabelecimento. Os consórcios entendem que os prejuízos e desconforto causados aos milhares de passageiros afetados poderiam não acontecer, caso as solicitações de atenção ao setor tivessem sido responsavelmente analisadas pelo Poder Púbico, principalmente ao longo da pandemia. Sobre operação, ressaltamos que a maior parte dos trechos atingidos contam com linhas paralelas capazes interligar seus respectivos pontos de partida e destino. 

Foto de uma das pinturas da empresa antes da padronização da frota imposta no Governo de Eduardo Paes há alguns anos

Linhas da Viação Acari em operação e que desapareceram ou diminuíram nos últimos anos

Os rodoviários da empresa informam que estão com salários atrasados e já realizaram diversas manifestações e paralisações por conta da falta de pagamentos.

De acordo com o presidente da Sintraturb, Sebastião José, a entidade está aguardando a notificação oficial do fechamento para tomar as medidas judiciais para resguardar o direito dos profissionais que trabalham na empresa. Em janeiro do ano passado, o sindicato havia ingressado com uma ação no Tribunal Regional do Trabalho pedindo a penhora da arrecadação dos consórcios Internorte e Transcarioca, além do da Viação Acari, para que se regularizasse os pagamentos atrasados dos motoristas, cobradores, fiscais e do administrativo da empresa. No mesmo mês, os funcionários haviam feito uma paralisação para reivindicar o pagamento dos salários que estavam atrasados há dois meses.

secretária municipal de transportes, Maína Celidônio, informou que outras empresas de ônibus, devem assumir nos próximos dias as linhas que eram operadas pela Viação Acari.

A Secretaria Municipal de Transportes – SMTR não foi oficialmente comunicada, mas eu entrei em contato com o consórcio Internorte e me foi informado que hoje haveria uma reunião com outras empresas para que, caso uma empresa feche, a obrigação do consórcio é trabalhar e repor as linhas que ficarem sem ônibus, de acordo com a falência dessa empresa”, disse a secretária.

Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro, informou que a empresa de ônibus vinha atravessando uma crise financeira nos últimos três ano, e que a redução no número de passageiros transportados nos últimos doze meses, por conta da pandemia do novo Coronavírus, agravou a situação do empreendimento.

Prefeito do se manifesta e fala sobre nova licitação

Linhas operantes com a ausência da Viação Acari

Atualmente as linhas 254, 277, 667, 456 e 650 continuam inoperantes.

Linha 457 opera com as empresas Braso Lisboa, Pavunense e Verdun

Linha 607 opera com as empresas Pavunense, Três Amigos e Vila Real.

Com informações da Band News Fm Rio, Prefeitura do Rio, Rio Ônibus e Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro