Últimas:
SP: Rodoviários da Empresa São José fazem paralisação nesta sexta-feira em Franca

FRANCA – Os rodoviários da Empresa São José, que é responsável pelo transporte coletivo de passageiros no município de Franca, no interior de São Paulo, realizaram na manhã desta sexta-feira (30), uma paralisação das atividades em protesto contra o atraso dos salários, deixando centenas de moradores sem ônibus.

De acordo com o sindicato que representa a categoria, a paralisação iniciou por volta da 8h30, quando os funcionários fizeram o protesto já que segundo eles, estão com até dez dias sem pagamento de parte do salário, ferente à segunda quinzena do mês, o que vem ocorrendo com certa frequência, denunciam os rodoviários.

A circulação dos ônibus municipais, ocorreu por volta das 9h10, quando já era possível ver mais ônibus circulando em todas as linhas da cidade.

Empresa alega crise financeira

A Empresa São José, informou através de nota, que segue enfrentando dificuldades financeiras para custear a operação dos ônibus, assim como a realização do pagamento de seus funcionários, agravada por conta da pandemia da Covid-19, já de desde março de 2020 vem tendo uma queda considerada no número de passageiros transportados.

Atualmente, segundo a empresa de ônibus, os coletivos transportando apenas 30% da demanda que era registrada antes do ano 2020. Em meio a crise, a direção da São José informou ainda que tem buscado auxílio da Prefeitura de Franca.

“A concessionária teve, inclusive, a recorrer a empréstimos no mercado financeiro. Não poupou e não tem poupado esforços para manter os ônibus em circulação e, até agora, estava com o pagamento dos funcionários em dia. Mas, como nenhuma medida foi tomada por parte do Poder Público para reequilibrar os custos, a São José passa por sérias dificuldades financeiras, as quais comprometeram o pagamento dos funcionários em dia”, comunicou.

Sindicato dos Rodoviários se manifesta

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Geraldo Xavier de Almeida, informou que a justificativa dada pela empresa para a falta de pagamentos não é aceita pelos motoristas.

“Esse negócio que a empresa não tem condição de pagar nós estamos correndo atrás dos nossos problemas e eles correm atrás dos prejuízos deles. Não vamos aceitar mais isso”, afirma.

Ainda de acordo com Geraldo, desde o início da pandemia a condição financeira dos funcionários somente se agravou e já tem deixado famílias em situação vulnerável.

“O trabalhador está só perdendo na pandemia. O pessoal está tomando prejuízo no salário, não está acertando seus compromissos e tem motorista que está passando até necessidade, sendo despejado por causa da redução do salário”, diz.

A Prefeitura de Franca, ainda não se manifestou sobre a paralisação dos rodoviários, até a publicação desta reportagem.

Com informações da EPTV e Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários de França

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: