Últimas:
Rio: Viação Acari anuncia encerramento das atividades e demitirá 600 funcionários nos próximos dias

RIO – A Viação Acari informou que está encerrando suas atividades operacionais na cidade do ônibus, após quase seis décadas de serviços na cidade maravilhosa. A empresa é a 17ª a falir num prazo de seis anos. Os ônibus da Viação Acari eram responsáveis pelo transporte de milhares de passageiro de oito linhas municipais que ligavam os bairros da zona norte, sul e também o centro do município do Rio de Janeiro. A empresa que possui uma frota de 150 ônibus, deverá demitir cerca de 600 funcionários nos próximos dias.

Foto de uma das pinturas da empresa antes da padronização da frota imposta no Governo de Eduardo Paes há alguns anos

Linhas da Viação Acari em operação e que desapareceram ou diminuíram nos últimos anos

Os rodoviários da empresa informam que estão com salários atrasados e já realizaram diversas manifestações e paralisações por conta da falta de pagamentos.

De acordo com o presidente da Sintraturb, Sebastião José, a entidade está aguardando a notificação oficial do fechamento para tomar as medidas judiciais para resguardar o direito dos profissionais que trabalham na empresa. Em janeiro do ano passado, o sindicato havia ingressado com uma ação no Tribunal Regional do Trabalho pedindo a penhora da arrecadação dos consórcios Internorte e Transcarioca, além do da Viação Acari, para que se regularizasse os pagamentos atrasados dos motoristas, cobradores, fiscais e do administrativo da empresa. No mesmo mês, os funcionários haviam feito uma paralisação para reivindicar o pagamento dos salários que estavam atrasados há dois meses.

A secretária municipal de transportes, Maína Celidônio, informou que outras empresas de ônibus, devem assumir nos próximos dias as linhas que eram operadas pela Viação Acari.

“A Secretaria Municipal de Transportes – SMTR não foi oficialmente comunicada, mas eu entrei em contato com o consórcio Internorte e me foi informado que hoje haveria uma reunião com outras empresas para que, caso uma empresa feche, a obrigação do consórcio é trabalhar e repor as linhas que ficarem sem ônibus, de acordo com a falência dessa empresa”, disse a secretária.

O Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro, informou que a empresa de ônibus vinha atravessando uma crise financeira nos últimos três ano, e que a redução no número de passageiros transportados nos últimos doze meses, por conta da pandemia do novo Coronavírus, agravou a situação do empreendimento.

Os funcionários da empresa de ônibus seguem sob tensão, com medo de não receber os salários e demais direitos trabalhistas com o fechamento da empresa de ônibus.

Os trabalhadores cobram informações da empresa. “Porque as empresas de ônibus são uma caixa preta que ninguém tem acesso. Eles só visam o lucro e esquecem dos funcionários e dos passageiros”, disse um funcionário.

Para receber o que têm direito, eles já tiveram de recorrer à Justiça, como contou um funcionário.

“A empresa estava devendo três meses de salário, gerou um processo, houve uma ordem judicial. Foi quando ela acertou os três meses que estavam em atraso. Sendo que desde fevereiro, de lá para cá, não pagou mais nada. A gente fica nessa expectativa do que vai acontecer, se ela vai fechar as portas ou se nós vamos continuar trabalhando”.

O Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro – Rio Ônibus informou que lamenta o fechamento de mais uma empresa e que em 30 dias, quando a Viação Acari terminar o aviso prévio, 600 trabalhadores rodoviários deverão ser demitidos.

Com informações da Band News Fm Rio, Prefeitura do Rio, Rio Ônibus e Sindicato dos Rodoviários do Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: