Curitiba: Prefeitura e BID encaminham implantação do Novo Inter 2

Curitiba: Prefeitura e BID encaminham implantação do Novo Inter 2

7 de abril de 2021 0 Por Redação Revista do Ônibus

CURITIBA – A Prefeitura de Curitiba e o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID deram início, nesta terça-feira (6/4), ao processo de implantação do Novo Inter 2, que contará com investimentos da ordem de US$ 133,4 milhões para a evolução do sistema de transporte público. As intervenções de mobilidade previstas no programa têm potencial para gerar 34,8 mil postos de trabalho na cidade, entre empregos diretos, indiretos e induzidos. 

Na chamada “reunião de arranque” da missão do BID, realizada por videoconferências diárias que vão até sexta-feira (9/4), representantes do banco e técnicos do município trabalham no detalhamento das etapas e critérios de implantação do Projeto de Aumento da Capacidade e Velocidade da Linha Direta Inter 2.

Do total de investimentos, US$ 106,7 milhões serão financiados pelo BID e US$ 26,7 milhões virão de contrapartidas do município.  

O empréstimo será desembolsado dentro do período de cinco anos, com prazo de amortização de 25 anos e período de carência é de 5,5 anos. 

Parte dos projetos executivos do Novo Inter 2 estão sendo contratados pelo município. São cinco lotes de licitação que envolvem sete projetos, com tempo de execução de 12 meses cada. Somente com os projetos executivos concluídos será possível licitar as obras. A estimativa de conclusão das obras é de 36 meses.

“É o momento de ajustar as métricas e objetivos face às mudanças que ocorreram no trajeto, tendo em vista a pandemia e uma série de externalidades que influenciam no processo. É necessário definir o que podemos fazer hoje para não ter problemas adiante, bem como definir ações para fazer cumprir o planejamento” , observou a chefe da missão do BID e especialista em Transportes Ana Beatriz Figueiredo de Castro.

De acordo com o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba e secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur, o Novo Inter 2 representará a inovação da mobilidade Curitiba.

“Iniciamos o projeto justamente num momento em que se faz necessário requalificar o sistema com foco na forma como as pessoas estão se deslocando”, frisou o presidente do Ippuc.

Segundo Jamur, o Novo Inter 2 irá favorecer a multimodalidade e atrair novos usuários ao transporte público, tendo como inovações os ônibus elétricos e a redução do tempo de percurso, possibilitando fatores competitivos em relação ao transporte individual.

O secretário de Planejamento, Finanças e Orçamento, Vitor Puppi, destacou o equilíbrio financeiro alcançado pelo município e a importância da evolução do sistema de transporte.

“Estamos no quinto ano de uma gestão em que alcançamos uma condição muito boa de equilíbrio fiscal. Hoje temos condições de estar aqui, com uma equipe apta a cumprir as obrigações financeiras e de cronograma com o BID. Não há planejamento sem equilíbrio financeiro”, completou o secretário de Finanças do município.

Jamur e Puppi integram, por parte do município, o Conselho Deliberativo do Programa de Financiamento com a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Dias, o secretário de Obras, Rodrigo Rodrigues, e procuradora-geral do município, Vanessa Palácios.

O monitoramento das fases de implantação é feito pela Unidade Técnica Administrativa de Gerenciamento (Utag), responsável pelas ações de controle e acompanhamento das etapas de projeto e execução de obras, bem como pela administração geral do Contrato de Empréstimo com o BID.

Ônibus elétricos

Ao apresentar a importância estratégica do projeto para Curitiba, a assessora de investimentos do Ippuc, Ana Cristina Jayme, frisou que o Novo Inter 2 é prioridade no plano de governo como um avanço da cidade para a melhoria do transporte e redução de emissões com a operação de ônibus elétricos. 

“A mobilidade sustentável, aliada à questão climática e à ciência de dados são ferramentas importantes do Novo Inter 2. É um projeto que dará respostas a questões estratégicas do transporte curitibano”, disse.

A nova lógica proposta para os serviços de transporte de Curitiba envolve a descarbonização da frota, a atração de novos usuários ao transporte público, a promoção da mobilidade ativa e a disseminação da cultura de gestão de dados e inovação, com a utilização de novas tecnologias.

Também participaram da reunião, representando o banco, as especialistas em Transporte, Paloma Muñoz e Lauramaria Pedraza; o especialista em Desenvolvimento Urbano e Habitação, Dalve Soria; o analista de Operações, Fernando Aguiar; a especialista na unidade de Soluções Ambientais e Salvaguardas, Luciana Vanzan; a especialista ambiental, Fernanda Helena e o especialista financeiro, Carlos Carpizo.

Pelo município, acompanharam a videoconferência o coordenador da Utag, Paulo Socher, e a equipe de trabalho da unidade; do Ippuc, os assessores de Mobilidade Urbana, Cléver de Almeida, e da presidência, Ricardo Bindo; a coordenadora do Sistema Viário, Guacira Civolani, e a coordenadora do setor de Transporte Público, Olga Prestes, acompanhados remotamente por integrantes das respectivas equipes técnicas. Representantes das secretarias municipais de Planejamento e Finanças, Obras Públicas e do Meio Ambiente também participaram da reunião.

Novo Inter 2

O Projeto de Aumento da Capacidade e Velocidade da Linha Direta Inter 2 envolve as duas linhas que mais transportam passageiros na cidade fora do eixo estrutural: a Linha Direta Inter 2 (de Ligeirinho) e a Linha do Interbairros II (paradora). Hoje, o Ligeirinho Inter 2 transporta por dia 91 mil passageiros e o Interbairros II, 64 mil/dia.  Com o projeto, as duas linhas deverão passar dos atuais 155 mil passageiros transportados diariamente para 181 mil.O Inter 2 percorre itinerário circular numa extensão de 38 quilômetros, passando por 28 bairros de Curitiba numa área de abrangência de 580 mil habitantes.

Com informações da Prefeitura de Curitiba