Porto Velho terá ônibus com tarifa zero até o final do mês de abril

Porto Velho terá ônibus com tarifa zero até o final do mês de abril

6 de abril de 2021 0 Por Redação Revista do Ônibus

PORTO VELHO – A Prefeitura de Porto Velho informou que o Poder Legislativo de Porto Velho aprovou nesta terça-feira (6) um Projeto de Lei (PL 03/2021) de autoria do Poder Executivo, que tornará gratuito o transporte coletivo na capital. Serão destinados subsídios durante sete meses para que a gratuidade seja garantida até o fim de abril, e que a tarifa suba gradualmente até dezembro.

Ainda segundo a administração municipal, o subsídio previsto gira em torno de R$ 6 milhões com recursos do orçamento próprio que se compromete a assegurar o equilíbrio contratual da prestação deste serviço à população.

De acordo com o PL, a proposta primária é fomentar a utilização do serviço de transporte público pela população e, consequentemente, preservar o equilíbrio econômico-financeiro celebrado pelo contrato com a atual responsável pelo sistema, a JTP Transportes, Serviços, Gerenciamento e Recursos Humanos Ltda., empresa paulista que iniciou o atendimento na capital em outubro de 2020.

A Prefeitura de Porto velho informou que dá a oportunidade para que a população usufrua dos serviços durante o primeiro mês (abril) sem pagar nenhum real. Em maio, junho e julho, o investimento será de R$ 1,00. Entre agosto e outubro, pagará R$ 2,00 e, novembro e dezembro R$ 3,00. Desta forma, a partir de 1º de janeiro de 2022, a tarifa volta ao valor normal, ou seja, R$ 4,05.

Entre os meses de agosto, setembro e outubro, o subsídio repassado à empresa de transporte coletivo será de pouco menos de R$ 500 mil por mês. A diferença também será paga pelos usuários, quando a passagem estará custando R$ 2.

Nos dois últimos meses do ano, novembro e dezembro, o usuário pagará uma passagem no valor de R$ 3. A prefeitura da cidade entrará com o subsídio de quase R$ 90 mil para o período.

O titular da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), Ronaldo Flores, lembrou que a atual detentora da concessão (JTP Transportes) assumiu o serviço em outubro do ano passado, após a declaração de falência do sistema anterior. “Uma série de situações fizeram com que hoje, o Executivo Municipal apresente esta proposta. Houve uma manifestação da empresa sobre a situação econômico-financeira dela: combustível, mão de obra, manutenção, por exemplo. E foi criada, uma Comissão interna no âmbito da Semtran. A equipe fez uma análise minuciosa e com todo o zelo possível dos números e dados apresentados. Então, hoje o que está sendo apresentado condiz e está dentro da realidade do transporte público”, diz.

A aprovação foi muito criticada por motoristas de aplicativos, uma vez que acreditam que serão os maiores prejudicados com as medidas.

Com informações da Prefeitura de Porto Velho