Salvador: Funcionários da CSN anunciam greve de ônibus para a próxima segunda-feira 29

Salvador: Funcionários da CSN anunciam greve de ônibus para a próxima segunda-feira 29

27 de março de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

SALVADOR – Os funcionários da Concessionária Salvador Norte – CSN, empresa que atende a região de Mussurunga e parte da orla de Salvador, anunciaram neste sábado (27), que a partir da próxima segunda-feira (29), estarão paralisando as atividades na empresa de ônibus. A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Rodoviários.

Uma assembleia realizada hoje, definiu a paralisação dos rodoviários da empresa. Os rodoviários temem que o acordo que foi firmado entre a empresa de ônibus e o sindicato da categoria, que visa a indenização dos funcionários, não seja cumprida, depois que o prefeito de Salvador Bruno Reis, anunciou que rescindiu o contrato com a Concessionária Salvador Norte – CSN. A administração municipal afirmou que assumirá de fato a operação do sistema, até outra empresa ser selecionada em licitação.

“A empresa vai decretar a caducidade, e num futuro próximo vai declarar falência. É um processo jurídico natural nesses casos. Com isso ele não vai pagar os valores indenizatórios dos trabalhadores. Vamos fazer uma briga jurídica para que o patrimônio da empresa resolva essa questão”, disse o vereador e presidente do sindicato, Hélio Ferreira (PCdoB) .

O Sindicato dos Rodoviários informou que a divida trabalhista da empresa de ônibus seja de aproximadamente R$ 82 milhões.

Alguns funcionários da CSN, acreditam que com a venda de uma das garagens de ônibus e com os créditos do governo municipal, seja possível realizar o pagamento das dívidas trabalhistas.

De acordo com Bruno Reis, uma auditoria na empresa de ônibus, apontou inúmeras irregularidades na gestão do contrato, por parte da direção da empresa e por este motivo, foi tomada a decisão de rescindir o contrato. O prefeito de Salvador informou também que a CSN segue com uma dívida de R$ 516 milhões.

Desde junho de 2020, a Prefeitura de Salvador seguia com uma auditoria, depois que iniciou o processo de intervenção, quando o Sindicato dos Rodoviários alertou o governo municipal na época, de que a concessionária vinha descumprindo acordo coletivo assinado com a categoria, além de atrasar constantemente o adiantamento salarial e o tíquete alimentação.

Com informações do Sindicato dos Rodoviários de Salvador e Bahia.ba