BH: PF encontra lista com 57 pessoas que teriam sido vacinadas em garagem de ônibus da Cia Coordenadas do Grupo Saritur, diz TV

BH: PF encontra lista com 57 pessoas que teriam sido vacinadas em garagem de ônibus da Cia Coordenadas do Grupo Saritur, diz TV

26 de março de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

BELO HORIZONTE – A investigação da Polícia Federal, no âmbito da Operação Camarote, que pela manhã esteve em uma das garagens do Grupo Saritur, realizando o mandado de busca e apreensão, localizou segundo a Record TV e o portal R7, uma lista com os nomes de 57 pessoas que possivelmente foram vacinadas contra da Covid-19, em uma garagem de ônibus ligada ao Grupo Saritur, como denunciou a revista Piauí, em reportagem publicada nesta última quarta-feira (24), que mostra um vídeo de um grupo de pessoas sendo vacinados dentro de uma garagem da Viação Saritur no bairro Caiçara, em Belo Horizonte

De acordo com fontes ligadas à investigação, há indícios que dos os imunizantes foram adquiridos em uma compra feita em um países vizinhos ao Brasil e não diretamente com a fabricante Pfizer.

Em contato com a reportagem, a Pfizer já havia negado qualquer negociação com a iniciativa privada no Brasil.

Durante a visita em uma das garagens de ônibus do Grupo Saritur, agentes da Polícia Federal, conversaram com funcionários da Companhia Coordenadas de Transportes, assim como um dos sócios, identificado como Robson Lessa, apontando pela reportagem da Revista Piauí como o principal articulador da aplicação das vacinas, ao lado de seu irmão Rômulo Lessa.

De acordo com o portal R7 e a Record TV, o local onde houve a vacinação das pessoas de forma clandestina, funciona atualmente as operações da Cia Atual Coordenadas, que opera linhas municipais na região de Belo Horizonte, e também opera linhas intermunicipais com ônibus rodoviários ligando por exemplo a cidade de Belo Horizonte até Juiz de Fora. A empresa ainda segundo a emissora de TV, pertence ao Grupo Saritur.

O portal R7 informou ainda que segundo a Justiça Federal, em conversa com os policiais, Robson “negou a ocorrência do fato noticiado na imprensa, mas, durante a entrevista, demonstrou nervosismo e apreensão”. Na visita, os policiais ainda constataram que vídeos divulgados pelo portal da suposta vacinação mostram exatamente “o setor médico da empresa”.

Operação Camarote

A Record TV informou nesta tarde, que a lista que foi localizada nesta sexta-feira (26), contendo o nome dos possíveis vacinados, segue sob segredo de justiça. Os documentos foram encontrados durante a visita da Polícia Federal ao local, para o cumprimento de mandado de busca e apreensão. Nenhum imunizante foi localizado até o momento.

“Em que pese as diligências preliminares não terem obtido êxito, há fortes indícios de ocorrênciade importação ilegal de vacinas contra covid-19 e de realização de vacinação organizada porrepresentantes da empresa Saritur, que, segundo as investigações, são administradas por Robson e Rômulo Lessa”, ressaltou o juiz federal Rodrigo Pessoa Pereira, da 35ª Vara, ao autorizar a operação.

Os nomes dos donos da Saritur constam na Receita Federal como os diretores da Atual. O site da companhia de ônibus também afirma que ela pertence ao grupo. Ainda assim, representantes da Saritur afirmam que não têm ligação com a Coordenação da Cia Atual Coordenadas.

Segundo a publicação da Revista Piauí, os organizadores da vacinação foram os donos da Viação Saritur. Um deles, Rubens Lessa, é presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano. Por mensagem à TV Globo, ele se limitou a dizer: “Tenho conhecimento deste assunto”.

Entre os vacinados, segundo a revista, também estariam o ex-senador e ex-presidente da Confederação Nacional do Transporte – CNT Clésio Andrade e o deputado estadual Alencar da Silveira Júnior – PDT.

Ao G1, Andrade disse que desconhece o assunto e que está em quarentena, no Sul de Minas, há dois meses. Mas à revista Piauí, afirmou: “Estou com 69 anos, minha vacinação [pelo SUS] seria na semana que vem, eu nem precisava, mas tomei. Fui convidado, foi gratuito para mim”. Questionado pela TV Globo, o ex-senador não confirmou a declaração.

Silveira Júnior negou que tenha participado da vacinação. Já o empresário Rubens Lessa, em nota, afirmou que o “endereço da empresa mencionado na reportagem não pertence ao Grupo Empresarial SARITUR, esclarece que os nomes citados na reportagem não fazem parte da direção do Grupo e que, o assunto tratado na matéria, era de total desconhecimento da diretoria da empresa”.

Com informações da Record TV, Tv Globo, G1 e Portal R7