Vídeo: Grande Curitiba registra ônibus lotados durante a pandemia da Covid-19

Vídeo: Grande Curitiba registra ônibus lotados durante a pandemia da Covid-19

11 de março de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

COLOMBO E CURITIBA – Os moradores do município de Colombo e de Curitiba, assim como nas demais cidades da Região Metropolitana, seguem nos últimos dias vivendo um dilema, com a super-lotação nos ônibus municipais e intermunicipais, durante a pandemia da Covid-19, aumentando as chances de proliferação do novo coronavírus.

Muitos moradores se questionam sobre a relação de critério dos governos municipais e estadual, sobre o cumprimento de medidas restritivas da circulação de pessoas, para que se evite inclusive a aglomeração de pessoas, já que diariamente é possível ver os ônibus viajando com muitos passageiros aglomerados.

No fim da madrugada desta última quarta-feira (10), por volta de 5h45, é possível ver imagens do Terminal do Guaraituba, localizado no município de Colombo, na Grande Curitiba, completamente lotado e passageiros se empurrando para entrar ou sair no coletivo articulado, como podemos ver o vídeo no final da reportagem.

O município de Curitiba, assim como todo o país, vive o pior momento da pandemia. Só nesta quarta-feira, foram registrados 22 óbitos e 1.274 novos casos de Covid-19 na capital paranaense.

O Governo do Estado do Paraná, informou através da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba – Comec, que orienta a população a buscar horários alternativos no transporte público para evitar aglomerações. A medida consta no Decreto 7.020/2021, que determina novas ações de combate ao coronavírus, incluindo a abertura dos estabelecimentos comerciais a partir das  10 horas, fora do horário de pico.

A regra que começou a vigorar nesta quarta-feira (10) ataca um problema recorrente nos ônibus. Um levantamento feito pela Comec identificou que os usuários ainda têm buscado os horários tradicionais, o que provoca superlotação.

“Temos um grande desafio, que é o transporte coletivo. Na Região Metropolitana de Curitiba 78% dos usuários utilizam o sistema nos horários de pico, entre 5h30 e 7h30 e entre 17h e 18h30. Fora destes horários os ônibus circulam muitas vezes vazios. Precisamos fazer com que as pessoas utilizem os ônibus nestes horários, que haja um equilíbrio”, afirma o diretor-presidente da Comec, Gilson Santos.

Nota da Urbs

A Urbs informou em nota que:

“Os ônibus operam com lotação máxima de 70% desde o decreto número 1.350 de outubro de 2020. Toda a operação é monitorada e são colocados ônibus extras, se for o caso, para manter a lotação máxima de 70%. Lembrando que a frota circulante comporta um movimento bem superior à demanda atual de usuários.

Na última segunda-feira, foram 317 mil passageiros no sistema – 58% menos do que antes da pandemia (760 mil aproximadamente). A frota está configurada para atender um volume quase 50% maior de passageiros, equivalente a 450 mil usuários/dia.

Entre os diversos tipos de ônibus e de diferentes tamanhos e capacidade – como biarticulados, articulados, padron, comum, e micros – frota circulante (cerca de mil veículos) equivale a 80% do total, com de 100% do número de veículos nas principais linhas.

A Urbanização de Curitiba (Urbs) pede também a colaboração da população, para que evite os horários de pico, organize seus horários para que possa esperar pelo próximo ônibus, se for o caso, e que respeite os protocolos de segurança sanitária, com o uso contínuo do álcool gel, disponível em saboneteiras nos terminais e estações-tubo. O uso de máscara é obrigatório e se apresentar sintomas de covid-19, ficar em casa”, diz.

E a Urbs acrescenta: “O monitoramento é diário, via fiscais e Centro de Controle Operacional (CCO). Ônibus extras são acionados para a área de operações quando é detectado um movimento acima do esperado. E tem ônibus extras à disposição. São ônibus reserva para esses casos”.

Nota Comec

A Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba – Comec, responsável pelo transporte na região metropolitana, informou que “lotações pontuais podem ocorrer pois a demanda funciona de forma natural. A Comec acompanha essa operação e realiza os ajustes sempre que necessário”.

Com informações da Band News FM, Band B, Governo do Estado do Paraná, Urbs e Comec