Eduardo Paes é alvo de críticas na internet por ser o criador do BRT Rio que não funciona como deveria

Eduardo Paes é alvo de críticas na internet por ser o criador do BRT Rio que não funciona como deveria

11 de março de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – Com quase três meses a frente do governo municipal, o prefeito Eduardo Paes, é alvo de reclamações nas principais redes sociais e também em grupos de mensagens por aplicativo, pelos inúmeros problemas ocorridos com os ônibus do Consórcio BRT RIO, projeto idealizado por ele quando foi prefeito entre 2009 – 2017.

Foto: Reprodução de Redes Sociais

As ocorrências diárias devido ao sucateamento da frota de ônibus e do péssimo estado de conservação dos três corredores expresso, entre eles o Transoeste, Transcarioca e Transolímpica, os moradores da cidade do Rio de Janeiro que são clientes do BRT, lotam as principais redes sociais e grupos de mensagens por aplicativos, com fotos e vídeos dos problemas que eles enfrentam, como a super lotação dos ônibus e estações, gerando risco eminente do contágio da Covid-19, problemas mecânicos, no ar-condicionado e ônibus incendiados.

A situação do Consórcio BRT Rio, parece estar cada vez pior. Nesta última quarta-feira, diversas imagens de ônibus articulados abandonados e sucateados, passaram circular nas principais redes sociais e demais grupos de mensagens por aplicativo. De acordo com o projeto Informações_RJ, as imagens são desta quarta-feira (3).

Em meio as inúmeras reclamações do transporte coletivo, em especial dos clientes e passageiros do Consórcio BRT Rio, o prefeito Eduardo Paes, anunciou em sua rede social, na manhã desta quarta-feira (3), que sua administração fará uma intervenção no BRT Rio e também na bilhetagem eletrônica dos ônibus municipais.

O prefeito afirmou que seu governo passará cuida dos corredores exclusivos dos ônibus e do controle das passagens até a conclusão de uma nova licitação na cidade.

“Tivemos uma reunião com as concessionárias. Informamos que serão retirados da concessão a bilhetagem eletrônica e o BRT”, escreveu Paes. “Ambos serão objetos de futura licitação a ser feita pela prefeitura”, emendou.

O prefeito disse que já começou a transição da intervenção. “Na bilhetagem, criando mecanismos de maior controle no sistema”, detalhou.

Eduardo Paes o prefeito eleito com apoio de Sérgio Cabral

Eduardo Paes concorreu ao governo do Estado em 2006, conquistando pouco mais de 5% dos votos. Na época ele declarou apoio ao peemedebista Sérgio Cabral Filho no segundo turno, que venceu a eleição e o indicou para a Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer. Em outubro de 2007, a convite do governador Sérgio Cabral, deixa o PSDB e filia-se ao PMDB para ser candidato a prefeito do Rio de Janeiro em 2008. Com resistências internas, iniciadas ainda em sua filiação, foi oficializado candidato a prefeito após vencer Marcelo Itagiba na Convenção Municipal do PMDB.

Em uma disputa acirrada, acaba sendo eleito prefeito do Rio no segundo turno com 50,8% dos votos válidos, derrotando Fernando Gabeira (PV). Em 2012, Paes reelegeu-se no primeiro turno com 64% dos votos.

Nas eleições de 2018, Paes foi candidato ao governo do estado do Rio de Janeiro, mas foi derrotado por Wilson Witzel.

Em 2020, três anos após o fim do seu segundo mandato, Paes decide concorrer novamente para a prefeitura do Rio de Janeiro na eleição municipal de 2020. No segundo turno Paes venceu o então prefeito Marcelo Crivella com 64.07% dos votos (1.629.319 votos), conquistando assim um terceiro mandato no comando da capital fluminense.

Paes tomou posse em 1º de janeiro de 2021, sucedendo Jorge Miguel Felipe, que assumiu a Prefeitura interinamente após a justiça decretar a prisão e o afastamento do titular Marcelo Crivella em 22 de dezembro de 2020.

Sérgio Cabral, Eduardo Paes e Lula – Foto: Divulgação

O BRT Rio, opera desde 6 de junho de 2012, quando foi inaugurado pela administração do prefeito Eduardo Paes e do governador fluminense Sérgio Cabral Filho, contando com a presença do ex-presidente Lula. O projeto de Bus Rapid Transitand System é constituído de quatro corredores com BRTs de duas composições. Porém o desafio da implantação da rede foi bem maior que o normal pois estes corredores estão em vias expressas. Tal quantidade de obras que originalmente uma prefeitura sozinha não seria capaz de realizar em seis anos; período entre a escolha da cidade para receber a XXXI olimpíada e a realização desta em agosto de 2016.

O projeto recebeu financiamento do Ministério das Cidades, Ministério dos Transportes, e Governo Fluminense além do capital da prefeitura e empréstimos do BNDES. Tendo até o fim de 2016 inaugurado os corredores do corredor TransOeste, TransCarioca,TransOlímpica.

As obras seguir no corredor da TransBrasil estão sendo feitas pelas construtoras Andrade Gutierrez, Invepar, Queiroz Galvão e Odebrecht, simultaneamente e ainda não possuem uma data para ser inaugurado.

Reclamações de moradores são diárias

As queixas contra o prefeito que é conhecido pelos moradores do Rio de Janeiro, como o “pai do BRT RIO”, sobram nas redes sociais como podemos ver abaixo.

O Gabinete do Prefeito Eduardo Paes, assim como a Secretaria Municipal de Transportes que é responsável por fiscalizar o transporte da cidade do Rio, ainda não se manifestaram.

Com informações da Band News FM Rio, Centro de Operações Rio e Redes Sociais

Confira mais notícias sobre o BRT Rio