MG: Uberlândia registra paralisação de ônibus pelo segundo dia

MG: Uberlândia registra paralisação de ônibus pelo segundo dia

6 de março de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

UBERLÂNDIA – Os rodoviários de Uberlândia, iniciaram no início da manhã deste sábado (6), mais uma manifestação pelo segundo dia, paralisação a operação municipal, prejudicando a circulação de moradores. De acordo com a Polícia Militar, ao longo do ato, um motorista acabou sendo preso.

Nesta última sexta-feira (5), a categoria realizou uma paralisação do transporte municipal. Na ocasião, os rodoviários informaram que o ato não teve apoio do sindicato da categoria, e que os funcionários pedem que os empresários do transporte possa realizar o pagamento dos salários de forma integral.

A Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, informou que ao longo da manifestação realizada na manhã deste sábado, os ônibus foram impedidos de entrar ou até mesmo sair do Terminal Central.

Ainda durante esta manhã, a Prefeitura de Uberlândia, informou que operação dos ônibus já seguia normal. A informação foi confirmada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro – Sindett.

Prisão de rodoviário

A Polícia Militar informou ainda que durante a manhã deste sábado (6), um dos rodoviários que seria o líder do movimento, acabou preso.

“A Polícia Militar informa que garante e sempre irá garantir o direito de manifestar do cidadão, no entanto, a PM irá garantir também o direito de ir e vir das pessoas. Nesse sentido, na ocasião, foi necessária a prisão de um líder envolvido na manifestação ocorrida”, explicou o capitão da PM Elias Alves.

Segundo a PM, a prisão foi realizada pois a ação estava “impedindo a entrada e saída de veículos do Terminal Central, o que causou um certo tumultuo, envolveu manifestação ilegal, uma aglomeração de pessoas não permitida, inclusive diante do atual cenário [pandemia de Covid-19].”

Conforme o capitão, a manifestação foi finalizada e o trânsito voltou a fluir normalmente. O motorista líder do movimento foi detido sem a utilização de força policial e encaminhado à delegacia de Polícia Civil.

Crise no transporte

Segundo os trabalhadores do transporte público, os salários foram parcelados em três vezes. Eles receberam o comunicado do parcelamento por volta do meio dia de sexta-feira.

Em nota, o Sindett e as empresas de transporte público de Uberlândia repudiaram a ação e a consideram “ilícita”. Disse ainda que a paralisação, “além de ter ocorrido de forma ilegal em um momento crítico da saúde pública na cidade, colocou em risco os clientes que utilizavam o transporte no momento”. A nota segue dizendo que as empresas “mesmo com 50% da receita, têm buscado mecanismos para minimizar o impacto dessa redução de clientes na folha de pagamento”.

Com informações da Prefeitura de Uberlândia, Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, Tv Integração e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro – Sindett