Rio: Passageira do BRT Rio é atingida por peça solta em ônibus articulado

Rio: Passageira do BRT Rio é atingida por peça solta em ônibus articulado

25 de fevereiro de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – Não bastasse os inúmeros atrasos, os problemas no ar-condicionado e a superlotação nos ônibus do Consórcio BRT Rio, agora, os passageiros precisam estar atentos durante as viagens, para que evitem se ferir dentro dos ônibus articulados que circulam em situação precária de manutenção, como informou a TV Globo.

Uma passageira e cliente do Consórcio BRT Rio, identificada como Cínthia Costa da Silva, acabou interrompendo sua viagem na manhã desta quinta-feira (25), depois que foi atingida por uma peça interna do ônibus que se soltou e acertou sua cabeça, na estação Santa Cruz, do Consórcio Transoeste.

Com a cabeça sangrando, a passageira deixou o terminal com urgência.

“Dentro do ônibus, estava segurando, senti aquela pancada na cabeça. Aí, avisei a elas (duas amigas) que algo caiu na minha cabeça. Quando olhei um negócio embaixo com um parafuso, meti a mão e senti que estava sangrando, foi uma pancada muito forte porque senti que estava doendo”, contou Cínthia.

A cliente do BRT Rio, acabou sendo atendida por funcionários do consórcio, que chegaram acionar uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, a mesma foi encaminhada para um hospital da região, recebeu medicação e foi liberada em seguida.

Na manhã desta quinta-feira (25), quem estava na Estação Santa Cruz, percebeu que por volta das 6h, uma fila enorme já se formava no lado de fora da estação, chamando atenção dos passageiros, que chegaram levar mais de uma hora para embarcar nos ônibus articulado.

Foto: Reprodução de TV

Os passageiros e clientes do Consórcio BRT Rio, reclama da demora na circulação dos ônibus que deixam a Estação Santa Cruz, do péssimo estado de conservação dos ônibus articulados e da aglomeração gerada dentro e fora do terminal.

Segundo os passageiros, funcionários do BRT tentam organizar filas de dentro da estação. Mas como a demanda é grande e os ônibus insuficientes, o procedimento não dá certo. E gera mais revolta e reclamações.

Consórcio BRT Rio se manifesta

O Consórcio BRT RIO, informou que trabalha com toda a frota operante e que as condições precárias das pistas dos corredores causam prejuízos à operação. Disse ainda que os veículos que deveriam durar 20 anos, no Rio, duram apenas cinco anos.

Além disso, o consórcio voltou a dizer que o setor de transportes vem atravessando a mais grave crise econômico-financeira da história por causa da pandemia.

Com informações do Consórcio BRT Rio, Band News Fm e Tv Globo

Confira mais notícias sobre problemas com o BRT RIO