MPF pede que ANTT obrigue as empresas de ônibus a vender metade das poltronas em viagens interestaduais

MPF pede que ANTT obrigue as empresas de ônibus a vender metade das poltronas em viagens interestaduais

21 de fevereiro de 2021 0 Por Redação Revista do Ônibus

BRASÍLIA – Preocupados com o avanço na contaminação da Covid-19, e o com aumento nas viagens interestaduais, o Ministério Público Federal, encaminhou à Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, uma recomendação para que o órgão passe obrigar as empresas de ônibus a vender somente 50% das poltronas disponíveis nos ônibus rodoviários em todas as viagens interestaduais ao longo de todo o período da pandemia, como informou o jornal O Globo neste domingo (21).

O Ministério Público teme que com a circulação dos ônibus mais cheios, como vem ocorrendo desde o período do fim de ano, possa aumentar o contágio da Covid-19, mesmo com todo o protocolo sanitário adotado nos ônibus rodoviários.

Por outro lado, a ANTT informou que editou uma resolução com medidas sanitárias de higienização nos ônibus, além de outras normas que estão sendo seguida, já que o transporte de passageiros é um serviço essencial.

Os procuradores federais, já sinalizam nos bastidores que podem ingressar com uma ação contra a ANTT, caos os ônibus sigam realizando viagem sem a redução do número de poltronas vendidas.

Vale lembrar que as empresas de ônibus que operam o serviço interestadual e intermunicipal de passageiros, seguem as normais sanitárias publicadas pelo governo federal e de cada estado ou município, como por exemplo, a utilização de álcool em gel, o uso de máscara de proteção para o embarque nos ônibus, assim como a limpeza e higienização dos ônibus antes de cada viagem.

Com informações do Jornal O Globo