Pará: Sistema de transporte metropolitano é apresentado a prefeitos de Benevides e Santa Bárbara

Pará: Sistema de transporte metropolitano é apresentado a prefeitos de Benevides e Santa Bárbara

5 de fevereiro de 2021 Off Por Redação Revista do Ônibus

BENEVIDES E SANTA BÁRBARA – O governo do Estado do Pará, informou que o transporte público na Região Metropolitana de Belém foi pauta de reunião entre os gestores do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano – NGTM e prefeitos dos municípios de Benevides e Santa Bárbara nesta sexta-feira (5), na sede do Núcleo. No encontro, articulado pelo deputado estadual Igor Normando, foi apresentado o conceito do projeto das obras de requalificação da rodovia BR-316, em execução pelo Governo do Estado, assim como o funcionamento do sistema integrado de transporte.

Eduardo Ribeiro, diretor-geral do NGTM, explicou que as obras fazem parte do programa Ação Metrópole, criado para elaborar e executar projetos de mobilidade urbana na região em parceria financeira com a Agência de Cooperação Internacional do Japão – JICA. A requalificação da rodovia, que ocorrerá nos primeiros 10.8Km da BR-316, é a última etapa do programa, que visa a implantação do BRT Metropolitano, que passará pelos municípios de Belém, Ananindeua e Marituba.

“Esse projeto prevê duas etapas. Já estamos executando a primeira, mas a próxima, que se estende até o KM 14, próximo ao conjunto Almir Gabriel, não faz parte deste contrato com a JICA, por isso, não possui recursos assegurados. Portanto, hoje, o projeto está concebido e em construção vai até o Terminal de Integração de Marituba, ou seja, passando a Alça Viária”, detalha Ribeiro. Além das canaletas centrais para o BRT Metropolitano, a requalificação prevê três faixas para veículos reestruturada, nos dois sentidos; ciclovias, 13 novas passarelas, calçadas, nova rede de drenagem, arborização e iluminação pública. “A BR deixará de ser uma rodovia urbana e passará a ser uma avenida”, completa o engenheiro.

O funcionamento do sistema integrado de ônibus na RMB foi concebido a partir de estudos de viabilidade que o Estado levou em consideração o valor da tarifa do transporte dos coletivos em relação à demanda populacional e os custos que as empresas precisarão investir para atender ao público com melhor qualidade dos municípios da região. “Não se pode colocar a tarifa fora da realidade da população”, ressalta o diretor-geral do NGTM a respeito do motivo de não estender o sistema com linhas troncais até outros municípios da RMB, como Santa Bárbara e Benevides, por exemplo. “Por outro lado, antes de executarmos a segunda etapa, é possível que haja novos estudos de viabilidade a serem feitos, pois é a região que mais cresce anualmente”, completa Ribeiro.

“Não temos é a pretensão de ditar regras dentro dos municípios, pois só vocês, enquanto gestores, sabem melhor a realidade de cada um. O transporte complementar não será extinto, ele será adequado ao BRT”, reforça Eduardo.

Segundo a prefeita de Benevides, Luziane Solon, os esclarecimentos dos representantes do Governo foram importantes para que ela possa definir suas estratégias de gestão no que diz respeito ao transporte público dentro do município de aproximadamente 62 mil habitantes em três distritos, como Murinin, Santa Maria e Benfica. “Eu precisava entender como funcionaria o transporte na região metropolitana com o BRT. Benevides está incluído dentro desse processo e saio daqui muito satisfeita porque temos certeza que a nossa população vai ter um transporte não só com mais qualidade, como também agilidade pelo sistema que está sendo implantado”, opina.

Marcos Colares, prefeito de Santa Bárbara, garante que o município possui as mesmas demandas, por isso, buscou entendimento para alinhar e buscar soluções para a mobilidade no município. “Levamos dessa reunião a esperança de lutar para que isso seja possível, pois a população de Santa Bárbara precisa de um transporte de qualidade”, comenta o gestor, ao lado do vice-prefeito Clovison Silva. 

Para o deputado Igor Normando, responsável pela articulação da reunião, a ideia prioritária era conhecer melhor o projeto e envolver os novos gestores municipais que possuem interesse com o assunto. “E tivemos uma atenção muito especial do NGTM. É um momento importante de discussão e, acima de tudo, encontrar soluções para possíveis gargalos que a gente encontra. Que possamos ser partícipes para que a gente venha defender um projeto que é tão importante para a mobilidade urbana da região metropolitana do nosso estado”, diz.

Com informações da Agência Pará