Últimas:
SP: Baixada Santista fechará praias na virada do ano e cidades não permitirão a  entrada de ônibus de turismo

SANTOS – O réveillon na Baixada Santista será diferente este ano, já que as praias da região estarão fechadas nos dias 31 deste mês e 1º de janeiro. A medida foi tomada nesta quarta-feira (23) pelos prefeitos da Região, que solicitarão apoio da Polícia Militar para a medida. O objetivo é desestimular a vinda de turistas, evitando aglomerações de pessoas e um aumento dos contágios pelo novo coronavírus.

Foto: Reprodução de Redes Sociais

A decisão ocorreu durante reunião do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista – Condesb, que descartou também a adesão das cidades à fase vermelha do Plano São Paulo nos dias 25, 26, e 27 de dezembro e 1º, 2 e 3 de janeiro. A razão é a falta de tempo para as prefeituras adequarem equipes e estruturas ao cumprimento de regras mais rígidas, já que o anúncio do governo estadual ocorreu somente última terça-feira (22).

“Essas medidas foram comunicadas sem que houvesse possibilidade de planejamento para a administração pública preparar a fiscalização. Precisamos de organização, o que seria impossível nesse tempo tão curto. Assim, a capacidade de fiscalização dos municípios fica comprometida”, explica o prefeito de Santos e presidente do Condesb, Paulo Alexandre Barbosa, lembrando que a ideia é, também, evitar impactos negativos à economia local. “Empresas e comércios já tinham estoques e funcionários contratados”.

Foto: Prefeitura de Santos – Divulgação

Prevensão mantida na região

Com as cidades na fase amarela, seguem mantidas as normas que determinam funcionamento do comércio limitado a 12 horas diárias e a 40% da capacidade de público, com distanciamento entre as pessoas, aferição de temperatura corporal e disponibilização de álcool em gel para funcionários e consumidores. Na fase vermelha, somente serviços considerados essenciais poderiam manter o atendimento.

O descumprimento das regras pelos estabelecimentos resulta em intimação pela Secretaria de Finanças (Sefin), podendo acarretar multa de R$ 10 mil, dobrada em caso de reincidência, com interdição do local. A fiscalização conta com apoios da Guarda Civil Municipal (GCM), que recebe denúncias pelo telefone 153, e da Polícia Militar.

Turismo na Baixada Santista

Para inibir a vinda de pessoas de outras regiões à Baixada Santista, os prefeitos ainda decidiram pela proibição de vans e ônibus de turismo e a montagem de barreiras sanitárias nas entradas das cidades. Neste sentido, também será solicitado à Agência de Transporte do Estado de São Paulo – Artesp que seja cancelada a “operação descida” no Sistema Anchieta imigrantes – SAI, durante os períodos de festas. Outro pedido é que o governo estadual produza um vídeo institucional para desestímulo a viagens neste fim de ano.

Os ônibus que operam linhas intermunicipais e interestaduais ligando as cidades da Baixada Santista, seguem operando normalmente. As empresas de ônibus, assim como os terminais rodoviários, seguem atuando com medidas de segurança sanitária, afim de conter a proliferação do novo coronavírus.

Com informações da Prefeitura de Santos e Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista – Condesb

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: