Justiça determina a apreensão de 22 ônibus em Porto Velho

Justiça determina a apreensão de 22 ônibus em Porto Velho

8 de setembro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

PORTO VELHO – Ao menos 22 ônibus que circulavam neste último sábado (5), em Porto Velho, acabaram sendo apreendido, por determinação da Justiça de Minas Gerais. A ordem de busca e apreensão foi determinada pela Justiça de Rondônia.

Todos os coletivos pertencem ao empresário Leandro Márcio Gomes Pereira e foram negociados com a empresa Comercio e Serviços Freitas Importação e Exportação. Também figuram como demandados Marcelo Alves Cavalcante e João Rene Teixeira, como informa o Tribunal de Justiça de Rondônia.

Ainda segundo o processo, foi negado a busca e apreensão pelo juiz de primeiro grau, porém, a decisão acabou sendo revista no Tribunal de Justiça do estado. No último dia 26 de agosto, o juiz Igor Queiroz, determinou o cumprimento da carta precatória em Porto Velho.

A negociação teria envolvido 30 coletivos, como mostra o processo, que foram adquiridos pelo empresário Leandro Márcio da empresa Transporte Coletivo Maranhense Ltda por R$ 2.034.900. Os veículos foram negociados posteriormente com a empresa Freitas, que se comprometeu a pagar 14 parcelas mensais de R$ 145.350. Não houve o cumprimento do acordo e Leandro Márcio recorreu ao Judiciário requerendo a apreensão dos ônibus, que figuravam como garantia.

Os ônibus acabaram sendo guinchados, por determinação de uma ordem judicial de busca a apreensão, e já estão a disposição do proprietário.

A Prefeitura de Porto Velho informou que a cidade segue com 18 ônibus circulando.

Com informações da Prefeitura de Porto Velho e Rondônia Agora