Brasília: Vandalismo na Rodoviária custa R$ 50 mil mensais

Brasília: Vandalismo na Rodoviária custa R$ 50 mil mensais

1 de setembro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

BRASÍLIA – O vandalismo e a falta de educação têm deixado prejuízos na Rodoviária do Plano Piloto. E haja problemas: banheiros depredados, lixeiras destruídas (outras furtadas), cabos de energia e caixas de incêndio danificadas, vidros da estação do BRT quebrados… Esses danos até que são reparados semanalmente, mas basta um descuido. 

Foto: Acácio Pinheiro – Agência Brasília – Divulgação

No mês de julho, a conta dos reparos feitos pela Administração da Rodoviária fechou em R$ 22.120. E os banheiros são o principal foco do vandalismo diário. Mensalmente, a equipe técnica da rodoviária repara em torno de 20 torneiras. Cerca de 100 vasos são desentupidos por mês. Outros tantos, quebrados, precisam ser substituídos. E sem das 20 luminárias substituídas, em média, toda semana.

Um esforço que, além provocar repetição de ações, gera muitas reclamações do público. “Certo dia vi um cidadão em cima da privada. No outro, um morador de rua arrancando uma torneira da pia. Aqui, é muito complicado. Tem dias que prefiro usar um banheiro do Conjunto Nacional por conta disso”, explica o motorista de ônibus, Francisco Régis, que diariamente está no local.

Foto: Acácio Pinheiro – Agência Brasília – Divulgação

A passageira Sidneia Maria faz diariamente a linha Rodoviária/Lago Norte, onde trabalha. Segundo ela, o banheiro feminino tem porta quebrada, vasos entupidos e, muitas vezes, o mau-cheiro é forte. A gente sabe que tem muito vândalo passando aqui”, informa.

O terminal de Brasília funciona 24 horas por dia. Possui dez banheiros, sendo cinco de cada sexo. Nesta segunda-feira (31), oito deles tinham algum tipo de avaria. Mictórios arrancados, torneiras quebradas e as portas danificadas foram os principais estragos constatados pela reportagem da Agência Brasília.

“Em algumas situações, a PM dá um flagrante e pega o vândalo. Mas, a falta de educação é muito grande e atrapalha também o comércio que funciona aqui. Quem é que vai comprar algo ou procurar um produto num lugar sem um banheiro decente?”, questiona o presidente da Associação dos Usuários da Rodoviária, Keslew Caixeta.

Foto: Acácio Pinheiro – Agência Brasília – Divulgação

Com informações da Agência Brasília