Faltará ônibus para cumprir decreto que restringe passageiros em pé em BH, diz Setra

Faltará ônibus para cumprir decreto que restringe passageiros em pé em BH, diz Setra

5 de agosto de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

BELO HORIZONTE – Em entrevista da Rádio Itatiaia, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros – Setra/BH, Joel Paschoalin, afirmou que não será possível cumprir o decreto municipal que passa restringir as viagens de ônibus com apenas 10 passageiros em pé, nos coletivos que operam linha em Belo Horizonte.

“Claro para a gente que vai faltar ônibus no pico com essa a limitação de passageiros. Os ônibus não foram dimensionados para transportar só esse número de passageiros no pico. Eu tenho algumas linhas do Move, por exemplo, que já roda com seis carros a mais do que antes da pandemia e nós não temos mais caro. Então eles vão ter que achar um caminho. Em algum sentido aumentar o número de passageiros em pé porque não vai existir frota suficiente na cidade”, explica Paschoalin.

O Sindicato das Empresas de ônibus da capital alerta que o número de passageiros atualmente segue com 60% menos que antes da pandemia, e que foi feito um corte de 45%. “Fica claro o desequilíbrio né porque a nossa arrecadação na roleta não é suficiente para pagar nem a folha, nem óleo diesel. É um problema muito grave que estamos enfrentando no transporte”, alertou Paschoalin durante a entrevista a emissora

Ainda segundo Paschoalin, o fato de o governo municipal ter feito a antecipação do vale transporte dos funcionários públicos da cidade, garantiu ao setor R$ 30 milhões, após um acordo entre o Ministério Público de Minas Gerais e a Prefeitura de Belo Horizonte, dá um certo fôlego ao sistema, porém, não resolve o problema. “É apenas um empréstimo e esse valor tem sido complementar, porque a gente paga pelo menos as contas básicas das empresas e conseguimos operar no nível que operamos hoje”, diz. 

Com informações do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros – Setra/BH