Campo Grande: Consórcio Guaicurus recebe multa por não disponibilizar ônibus articulados

Campo Grande: Consórcio Guaicurus recebe multa por não disponibilizar ônibus articulados

28 de julho de 2020 0 Por Redação Revista do Ônibus

CAMPO GRANDE – A Agência Municipal de Transportes e Trânsito – Agetran, passou trazer de volta, 17 multas que foram emitidas ao Consórcio Guaicurus, que é responsável pelo transporte de passageiros de Campo Grande, por não está disponibilizando ônibus articulados, em algumas linhas que foram definidas na operação desses tipo de coletivo, pela Agetran.

O Consórcio Guaicurus interpôs os recursos na Junta  Administrativa de Recursos de Infração de Trânsito de Campo Grande, e foram divulgados na publicação do Diário Oficial do Município nesta terça-feira (28).

Segundo o governo municipal, as multas foram aplicadas em 2016, e em meio as queixas do consórcio, que informa desde então que segue tendo queda de passageiros transportados nos últimos dias, a utilização dos carros articulados acabou sendo flexibilizada na cidade.

Prefeitura aplica multa de R$ 12 milhões

A Prefeitura de Campo Grande aplicou uma multa de R$ 12 milhões ao Consórcio Guaicurus, no início do mês, devido ao mesmo não seguir pagando seguro para os usuários que utilizam os ônibus municipais, como mostramos aqui, por ser uma exigência do contrato de concessão, assinado entre o governo municipal e o Consórcio.

Por outro lado, o Consórcio Guacurus segue recorrendo dessa multa, questionando na Justiça, os critérios que foram utilizados pela Agência Municipal de Transportes e Trânsito – Agetran, ao aplicar a multa.

Crise no transporte e embate com o governo

No mês de abril, o Consórcio Guaicurus, chegou ir à Justiça para pleitear uma um subsídio e uma possível isenção de impostos, porém, acabou recuando da ação, após o Prefeito Marcos Trad – PSD, sinalizar que o governo municipal poderia em breve encampar o serviço de transporte em Campo Grande.

Desde o início da pandemia que atinge Campo Grande, o Consórcio Guaicurus segue reclamando que possui séria dificuldade financeira, por conta da queda no número de passageiros transportados.

O Tribunal de Contas do Mato Grosso do Sul – TCE-MS, segue cobrando da prefeitura e também do Consórcio Guaicurus, um termo de ajuste de gestão – TAG, informando que ambas as partes, não estão seguindo o cumprimento no contrato.

Com informações da Prefeitura de Campo Grande, Consórcio Guaicurus e Tribunal de Contas do Mato Grosso do Sul – TCE-MS