Prefeitura do Rio cria  operação para verificar marcações de orientação aos passageiros no piso dos ônibus

Prefeitura do Rio cria operação para verificar marcações de orientação aos passageiros no piso dos ônibus

9 de julho de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – A Prefeitura do Rio de Janeiro, informou que nesta quinta-feira (9), a Secretaria Municipal de Transportes, realizou uma grande ação de fiscalização, para verificar se os consórcios e o BRT cumpriram a determinação de adesivar o piso dos ônibus, indicando a posição recomendada aos passageiros pelos órgãos de saúde. Fiscais estiveram em diferentes garagens, terminais e estações do BRT, e em pontos estratégicos da cidade. Ao todo, 95 multas foram aplicadas, principalmente por ausência de indicação no piso e lotação.

As empresas tiveram cinco dias úteis para se adequar à nova norma, prazo que expirou nesta quarta-feira (8). Caso haja descumprimento, o consórcio responsável fica sujeito à multa de R$ 924,38 por veículo flagrado em desconformidade. Vale destacar que não há quantidade exata de passageiros em pé por veículo, já que há diferentes plantas de ônibus. O importante é respeitar o limite de dois passageiros por metro quadrado, seguindo as recomendações dos órgãos de saúde.

Nos terminais e estações de maior demanda do BRT, como Alvorada, Santa Cruz, Madureira, Mato Alto e Pingo D’Água, os agentes aplicaram 32 multas, sendo nove por lotação indevida dos coletivos. Já em outros pontos da cidade, como vias de Campo Grande, São Cristóvão e Centro, 44 autuações foram registradas por descumprimento das medidas adotadas pela Prefeitura para a contenção do novo coronavírus. Outras duas linhas foram multadas por cobrar valor da tarifa inferior ao permitido, sem autorização.

– A secretaria está empenhada em buscar soluções para que o transporte público não seja um fator de risco para passageiros e rodoviários. Por isso, continuaremos a fiscalizar, com rigor, o cumprimento das normas e não vamos poupar esforços para que os operadores cumpram suas obrigações e ampliem sua frota efetiva em circulação – declarou Paulo Jobim, secretário municipal de Transportes.

Fiscais da SMTR também estiveram em diferentes garagens, ainda durante a madrugada, para verificar se os coletivos estavam com as marcações e devidamente higienizados, além do uso de máscara pelos funcionários e disponibilização de álcool em gel para os colaboradores. As equipes observaram que os coletivos haviam passado por desinfecção e os funcionários estavam equipados com máscaras. Porém, 17 autuações foram registradas por má conservação e ausência de marcação de distanciamento. Cinco veículos foram lacrados por falta de vistoria.

– Vamos manter a fiscalização reforçada até que a pandemia seja superada. Nossas equipes estarão, diariamente, em diferentes turnos, verificando a devida marcação do piso dos coletivos e o cumprimento das demais normas sanitárias, importantes para a preservação da saúde dos passageiros e motoristas. Contamos com a colaboração e conscientização da população para superarmos este momento atípico – concluiu o subsecretário municipal de Transportes, Allan Borges.

Fiscalização reforçada

A secretaria tem atuado diariamente para acompanhar os serviços prestados e cobrar que os consórcios e o BRT, que já foram notificados, ampliem sua frota efetiva em circulação, de forma a se adequar e acompanhar o incremento gradativo da demanda em função das fases definidas no plano de retomada.

Desde o início das ações de combate ao novo coronavírus, a SMTR aplicou 3.200 multas ao BRT e aos consórcios que operam linhas de ônibus regulares, especialmente por lotação, inoperância de linhas e circulação com frota inferior ao permitido.

A fiscalização seguirá intensificada em terminais, garagens e nas ruas, em diferentes turnos, para garantir que as novas medidas sanitárias sejam cumpridas pelos operadores, além de orientar motoristas e usuários sobre as recomendações dos órgãos de saúde.

Com informações da Prefeitura do Rio