Rodoviários de Teresina não irão retornar ao trabalho nesta terça-feira, afirma Sintetro

Rodoviários de Teresina não irão retornar ao trabalho nesta terça-feira, afirma Sintetro

6 de julho de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

TERESINA – Os rodoviários realizaram na manhã desta segunda-feira (6), uma nova assembleia geral na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário- Sintetro, onde decidiram manter a paralisação na capital, não voltando a operação que estava agendada para voltar nesta terça-feira (7), como informou o Sintetro, na última sexta-feira (3), com 70% da frota em horário de pico e 30% no horário normal.

O secretário de Previdência Social do sindicato dos rodoviários, Francisco das Chagas, informou em entrevista ao portal GP1 que a categoria segue insegura quanto a possibilidade de perderem os benefícios como plano de saúde e ticket alimentação, que estão atrasados desde o mês de maio.

“Ficou deliberado que os trabalhadores querem retornar, mas precisamos ter uma garantia do Ministério Público do Trabalho em relação aos benefícios que foram suspensos – o não pagamento do ticket alimentação, o não pagamento do plano de saúde e os 30% do salário – conforme Medida Provisória 936. Então, os trabalhadores decidiram que se o Ministério Público garantir o retorno desses benefícios, com certeza, ele voltam, pois a gente tem certeza que se não houver nada escrito os empresários não vão cumprir”, pontuou.

Em meio a tensão dos rodoviários e ao medo da perda de benefício e redução de salários, a categoria acabou decidindo que voltarão as atividades, quando houve a garantia do retorno dos benefícios a partir do mês de setembro, e se nada for feito, segue descartada o retorno das operações agendada para esta terça-feira (7).

Strans diz que vai ajuizar ação pedindo ilegalidade da greve de motoristas de ônibus em Teresina

A Prefeitura de Teresina, através da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito – Strans, disse na tarde desta segunda-feira (6), que vai vai ajuizar ação solicitando a decretação da ilegalidade da paralisação dos ônibus que já dura 51 dias.

Em nota, a Strans informou que a volta do transporte público de Teresina foi suspensa.

Segundo a superintendência, os ônibus voltariam a operar a partir desta terça-feira (07), com 70% da frota de ônibus circulando nos horários de pico, de 6h às 9h e de 16h às 19h.

Motoristas e cobradores de ônibus realizaram uma assembleia na manhã desta segunda e elaboraram uma proposta que vai ser apresentada ao MPT.

O Sintetro pede a garantia de um protocolo de saúde por parte do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina – Setut.

“Nós concordamos em retornar, mas queremos execução de testes rápidos, melhoria das estruturas nos finais de linha e também a assinatura da convenção coletiva, que caso os empresários assinem, a gente volta ao normal”, disse o presidente do Sintetro, Ajuri Dias.

O presidente afirmou que essas garantias ainda não foram dadas. “O plano de saúde é essencial. Como é que você vai voltar suspendendo o plano de saúde, uma coisa que, nesse momento, vai proteger o trabalhador? É incabível uma situação dessas”, declarou.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina – Setut, ainda não se manifestou sobre o assunto, até a publicação desta reportagem.

Com informações da Prefeitura de Teresina, GP1, Tv Clube e Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito – Strans