PI: Paralisação dos Rodoviários de Teresina complica a circulação de passageiros

PI: Paralisação dos Rodoviários de Teresina complica a circulação de passageiros

15 de maio de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

TERESINA – Os rodoviários do município de Teresina, iniciaram na manhã desta sexta-feira (15), uma paralisação. Até às 11h, não foi possível ver nenhum ônibus nas principais ruas da capital, como informou o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí – Sintetro.

A Prefeitura de Teresina, através da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito – Strans, informou que todas as zonas da cidade receberam suporte emergencial com veículos cadastrados para atender o transporte essencial de passageiros. E o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) afirmou que lamenta a greve e se solidariza com a população, em especial trabalhadores de serviços essenciais. 

Segundo Fernando Feijão, presidente do sindicato, a categoria tem como objetivo garantir uma renda mínima para os funcionários e garantir ainda a manutenção do emprego. Feijão afirma que os rodoviários ainda reivindicam melhores condições de trabalho, afirmando que não há estrutura adequada, principalmente, para a prática de hábitos preventivos à infecção pelo coronavírus.

“Desde quando mudou o trajeto das linhas, saindo dos terminais (uma das medidas adotadas durante a pandemia), o Consórcio Teresina tem desrespeitado os decretos. Não tem espaço adequado, não tem água, não tem sabão, não tem álcool em gel. O trabalhador corre o risco de se contaminar e contaminar quem está usando o transporte”, afirmou Fernando Feijão.

De acordo com o Sintetro, as empresas de ônibus teriam afirmado que não vão pagar os planos de saúde dos trabalhadores. O sindicato informou que procurou o Ministério Público, a Delegacia Regional do Trabalho (DRT) e o Tribunal Regional do Trabalho para denunciar a situação da categoria.

“Tem trabalhador há dois meses sem salário. Quem é do grupo de risco não está recebendo porque não pode trabalhar. Botam o trabalhador de férias e quando ele volta não paga. Tem salários atrasados, alguns receberam agora com ajuda do governo em que a empresa só paga uma porcentagem”, disse Fernando Feijão.

Sintetro emite nota

A Strans informa que tomará medidas para garantir a operação mínima do transporte público a partir desta sexta-feira (15), em virtude da deflagração da greve que anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (Sintetro). Os ônibus e vans cadastrados no início do mês de maio pela Strans vão garantir o atendimento aos usuários do transporte coletivo que atuam nos serviços públicos considerados essenciais em Teresina durante as paralisações. O cadastro foi uma medida de planejamento dentro da logística de funcionamento do serviço de transporte público.

SETUT se manifesta sobre a paralisação

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina (SETUT), em virtude do ofício recebido do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários no Estado do Piauí (SINTETRO), informando realização de greve da categoria a ser iniciada às 00:00 do dia 15/05/2020, vem, por meio desta nota, lamentar a adoção de tal medida no momento porque passa o mundo, o Brasil, o Piauí e em especial Teresina, decorrente da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O SETUT também se solidariza com a população de Teresina, em especial os trabalhadores em serviços essenciais, principalmente os da área de saúde, pelo prejuízo que lhe causará o movimento grevista iniciado pelos trabalhadores do setor de transportes urbanos desta capital.

Com informações da Prefeitura de Teresina, Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina – SETUT, Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários – Sintetro e Tv Clube