Ônibus lotados são flagrados em Curitiba nesta quinta-feira

Ônibus lotados são flagrados em Curitiba nesta quinta-feira

14 de maio de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

CURITIBA – A manhã desta sexta-feira (14), começou com ônibus lotados, desrespeito ao distanciamento social. O coletivo que fazia a linha Campo Cumprido x Pinhais, foi possível ver a superlotação através de imagens feitas pela passageira Lilian Brustolin, que mostra a triste e dura realidade de quem precisa do transporte público para manter o trabalho essencial funcionando.

Foto: Lilian Brustolin – Arquivo Pessoal – Divulgação

A ligação entre a cidade de Pinhais, na Região Metropolitana e o município de Curitiba, chamou atenção nas redes sociais e também em grupos de mensagens por aplicativo.

O Ministério da Saúde, bem como o governo do Paraná e a prefeitura de Curitiba, recomendam que todos utilizem máscaras de proteção e evite aglomerações, respeitando o isolamento social, se deslocando no transporte coletivo, apenas os profissionais do considerado trabalho essencial, para tentar conter a proliferação do novo Coronavírus.

Curitiba registrou, até esta quarta-feira (13), 571 casos confirmados de coronavírus e 30 mortes.

Foto: Lilian Brustolin – Arquivo Pessoal – Divulgação

Os passageiros que precisaram embarcar no ônibus por volta de 8h, no terminal Campo Comprido no município de Curitiba e seguiam para o terminal de Pinhais, na região metropolitana, precisaram ter paciência ao longo da viagem que tinha o ônibus lotado.

“É um absurdo. Todos os dias têm sido assim, eu entro nos ônibus morrendo de medo de pegar o vírus. As pessoas não respeitam, nem todas usam máscaras e todos ficam aglomerados”, reclamou Liliam.

A Urbs, empresa que administra o transporte público em Curitiba, disse que está trabalhando com 70% da frota nos horários de pico e que acompanha diariamente a movimentação de passageiros para manter o distanciamento sugerido.

Confira a nota da Urbs sobre o assunto

O sistema de transporte coletivo está trabalhando com 70% da frota nos horários de pico, quase cinco vezes maior que a demanda atual, que é de 260 mil passageiros por dia. A Urbanização de Curitiba (Urbs) acompanha diariamente a movimentação de passageiros para manter o distanciamento sugerido. A redução de passageiros está na casa de 67%, em relação ao período anterior ao início da pandemia do novo coronavírus. Para se ter uma ideia, antes da pandemia, esse volume era de 759 mil pessoas. Portanto, o sistema opera com folga.

Nos terminais, os ônibus só podem sair com lotação máxima de 50%, há marcação nas filas para manter o distanciamento de 1,5 metro entre os passageiros e orientação sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras por parte de fiscais. A partir de hoje (14/5), essa ação vai contar com o apoio do Exército. A operação é uma força-tarefa, que vai contar com um efetivo de 80 soldados para ajudar os agentes da Guarda Municipal, Defesa Social e da fiscalização da Urbs a orientar os usuários do sistema de transporte.

A força tarefa será concentrada – entre 5h30 e 8h30 – nos principais terminais (Pinheirinho, Santa Cândida, Cabral, Centenário de Boqueirão). No fim do dia, entre 16h30 e 19h30, a cooperação entre Prefeitura e Exército será nas estações tubo nas praças Carlos Gomes, Rui Barbosa e na estação Central e no terminal do Pinheirinho. Serão 40 soldados em cada período.

A Urbs também notificou a Comec (Coordenação da Região Metropolitana ) para reorganizar o fluxo de veículos vindos da Região Metropolitana, evitando a lotação nos terminais de Curitiba. Além disso, também reforça a necessidade de o comércio estabelecer horários alternativos de funcionamento, para evitar a superlotação no início e no fim do dia.

Comec emite nota sobre a ocorrência

A Coordenação da Região Metropolitana de CuritibaComec informa que tem acompanhado a operação e realizado mudanças diariamente. Somente nessa semana receberam reforço linhas em Bocaiuva do Sul, Fazenda Rio Grande, Itaperuçu e Rio Branco do Sul.

Estamos estudando ainda ajustes em Pinhais, São José dos Pinhais, Colombo e Campo Largo. Mas reforçamos a necessidade de utilização dos ônibus em horários alternativos. Apesar de uma redução de 74% no número de usuários, a frota foi reduzida em apenas 50%. Porém, a demanda está concentrada em horários muito específicos.

É preciso a compreensão da população e o esforço na busca pelo serviço em horários alternativos. A Comec tem realizado diversas conversas com FIEP, FACIAP, ACP, URBs, entre outros órgãos, incentivando a flexibilização dos horários de trabalho.

Com informações da Comec e Urbs