Petrópolis: Rodoviários da Petro Ita ameaçam paralisação nesta terça-feira

Petrópolis: Rodoviários da Petro Ita ameaçam paralisação nesta terça-feira

4 de maio de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

PETRÓPOLIS – O município de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, poderá enfrentar uma paralisação parcial dos rodoviários, já que funcionários da Viação Petro Ita que possui sede na cidade, seguem ameaçando cruzar os braços nesta terça-feira (5).

O Sindicato dos Rodoviários de Petrópolis, segue apoiando a paralisação. O presidente da entidade que representa dos funcionários de ônibus da cidade, Edson de Oliveira, afirma que o acordo que os empresários realizaram com os funcionários não seguem sendo cumpridos.

Com aproximadamente 800 funcionários, segundo Edson, grande parte segue com pagamento atrasado pelo menos há 45 dias.

“Há funcionários passando necessidade, que não recebem desde o começo de abril”, disse

Devido ao isolamento social que determinou o governo municipal e estadual, como forma de evitar a proliferação do novo Coronavírus em Petrópolis, a frota de ônibus segue sendo utilizada com significativa redução, e com a baixa demanda de passageiros, as empresas de ônibus de todo o Brasil seguem apresentando sérios problemas financeiros de manter o quadro de funcionários e até parte da operação.

O sindicato dos rodoviários, informa que o acordo entre os empresários e a entidade que representa os funcionários, que todo colaborador que possui direito, seria dadas férias, para evitar as demissões. O pagamento deveria ter sido feito na última quinta-feira, dia 30.

Ainda de acordo com o sindicato dos rodoviários, até o momento somente a cesta básica mensal foi entregue aos funcionários. “A cesta foi entregue com atraso e faltando itens. Foram 18 reuniões entre os sindicatos para chegar num acordo e não estão cumprindo”, lamentou.

Na cidade, os ônibus que operam as linhas municipais, seguem circulando sem cobradores, como forma de reduzir a operação da empresa. Entre o acordo firmado entre a empresa e os funcionários, ficou acordo que ao menso 30% dos cobradores que não estão dentro do grupo de risco, estaria voltando as atividades, porém, isso ainda não ocorreu, como informou o sindicato.

“Querem manter a frota funcionando sem pagar os funcionários, não pode ficar assim”, disse o presidente do sindicato dos Rodoviários.

Petro Ita se manifesta

A Viação Petro Ita, informou através de nota que segue atravessando uma crise sem precedentes, bem como outras empresas do transporte, já que houve uma queda de arrecadação superior a 70% sem que houvesse uma redução de custo na mesma proporção, causando com isso, um grande desequilíbrio econômico.

A empresa segue informando que está em busca de alternativas para quitar os vencimentos dos funcionários, mas, enquanto isso não ocorre, passou adotar critérios de pagar todos os funcionários parcialmente, sempre que ocorre arrecadação de receita.

Ainda segundo a nota, a Petro Ita disse que todos os funcionários que estavam no período de férias já retornaram ao trabalho. Sobre à cesta básica, a empresa informou que não há falta de itens, mas uma “pequena redução” na quantidade de alguns deles, em razão dos déficits provocados pela inflação, já que o valor da cesta foi baseado na média de preço do ano passado.

A direção da empresa afirma que entende que não há nenhum motivo para uma possível paralisação, já que segue buscando diálogo transparente junto aos funcionários.

Setransporte se manifesta

O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis – Setranspetro, informou que a suspensão dos serviços da Petro Ita neste momento, será muito ruim para a cidade, prejudicaria ainda mais a população que precisa seguir prestando os serviços essenciais.

A Prefeitura de Petrópolis ainda não se manifestou sobre o assunto, até a publicação desta reportagem.