Rio de Janeiro não deve ser o destino de viagem durante a pandemia da Covid-19

Rio de Janeiro não deve ser o destino de viagem durante a pandemia da Covid-19

2 de maio de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – O mês de maio chegou e com ele temos mais uma data comemorativa, que é o Dia das Mães, momento de fraternizar com a família, de rever amigos e passar um fim de semana com as pessoas que mais gostamos. Mas a notícia, não é das melhores para o setor do turismo rodoviário. A pandemia do novo coronavírus, segue afastando passageiros e as autoridades pedem para que se evite viagens ao Rio de janeiro.

A cidade Maravilha segue com alta taxa de contaminação pelo novo coronavírus, devido parte da população não seguir a determinação do Governo do Estado e da Prefeitura do Rio, de se manter isolados em casa. Nos últimos dias, foi possível ver pequenas aglomerações em várias partes da cidade e também em outros município do Estado do Rio de Janeiro.

As autoridades, já afirmam que os hospitais da rede estadual e municipal, incluindo algumas cidades da Região Metropolitana, já não possui leitos de UTI. Muitas pessoas, seguem sendo transferidas para unidades de saúde do interior, como no caso de Volta Redonda por exemplo.

A cidade do Rio segue com frota reduzida de ônibus urbanos e com sérias restrições aos passageiros, que precisam estar utilizando máscaras de proteção ao utilizar o transporte coletivo, seja nos ônibus municipais, nos trens que ligam os bairros da cidade do Rio com os municípios da Baixada Fluminense e no serviço das Barcas que ligam o Rio até Niterói.

Moradores da Baixada Fluminense que trabalham no município do Rio de Janeiro, só possuem acesso a cidade através do sistema ferroviário e em algumas estação distintas, passando por uma avaliação por agentes da Polícia Militar, sendo obrigados a mostrar que seguem viagem por trabalhar em funções essenciais determinadas pelo governo do estado, o mesmo ocorre no embarque das Barcas, seja na Praça XV, no Rio de Janeiro, ou na Praça Araribóia em Niterói.

O setor de turismo rodoviário segue completamente paralisado, por conta do anúncio do decreto do governador do Rio, Wilton Witzel que proíbe até o próximo dia 11 de maio, a circulação de ônibus intermunicipais e interestaduais a cidade do Rio de janeiro, como forma de evitar a proliferação do novo coronavírus, e aumentar com isso a contaminação de parte da população, como informamos aqui.

Rio: Viação Kaissara segue com aglomeração de passageiros em ônibus e desrespeitando decreto de Wilson Witzel

A Viação Kaissara do Grupo Itapemirim, é a única empresa que segue operando linha rodoviário no trecho São Paulo x Rio e também no trecho Rio x São Paulo, contrariando o Decreto do governador Wilson Witzel que determina a proibição da entrada de ônibus interestaduais no estado e também na capital fluminense.

Nesta sexta-feira (1º) os dois horários noturnos da empresa no trecho São Paulo x Rio, segue com apenas 9 poltronas livres de um ônibus com 42 poltronas disponíveis para venda, mostrando uma aglomeração de passageiro, contrariando a recomendação das autoridades de saúde, como o Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde – OMS, e das autoridade sanitárias, como da Vigilância Sanitária e Vigilância Epidemiológica, que determina que se evite aglomerações em ambiente fechados, como informou um cliente da empresa.

Com recorde de 67 mortes em 24 horas, RJ tem 921 óbitos e passa de 10 mil casos de Covid-19

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro informou neste sábado (2) um novo balanço do número de casos de Covid-19 no Estado. Foram 50 mortes confirmadas nas 24 horas anteriores.

Veja os principais dados:

  • 971 mortes – eram 921 na sexta
  • 10.546 casos confirmados – eram 10.166

Mortes por município:

  1. Rio de Janeiro – 603
  2. Duque de Caxias – 83
  3. Nova Iguaçu – 40
  4. Niterói – 26
  5. São Gonçalo – 23
  6. São João de Meriti – 20
  7. Mesquita – 15
  8. Belford Roxo – 13
  9. Macaé – 12
  10. Volta Redonda – 11
  11. Itaboraí – 10
  12. Maricá – 9
  13. Petrópolis – 9
  14. Itaguaí – 8
  15. Nilópolis – 7
  16. Rio das Ostras – 7
  17. Tanguá – 6
  18. Magé – 5
  19. Nova Friburgo – 5
  20. Iguaba Grande – 4
  21. Queimados – 4
  22. Resende – 4
  23. Teresópolis – 4
  24. Barra do Piraí – 3
  25. Cabo Frio – 3
  26. Campos dos Goytacazes – 3
  27. Paracambi – 3
  28. Rio Bonito – 3
  29. Guapimirim – 2
  30. Japeri – 2
  31. Mangaratiba – 2
  32. São Pedro da Aldeia – 2
  33. Sapucaia – 2
  34. Saquarema – 2
  35. Vassouras – 2
  36. Araruama – 1
  37. Arraial do Cabo – 1
  38. Barra Mansa – 1
  39. Bom Jardim – 1
  40. Bom Jesus de Itabapoana – 1
  41. Cachoeira de Macacu – 1
  42. Itaocara – 1
  43. Miguel Pereira – 1
  44. Paraíba do Sul – 1
  45. Paraty – 1
  46. Santo Antônio de Pádua – 1
  47. São Francisco de Itabapoana – 1
  48. São João da Barra – 1
  49. Silva Jardim – 1

Com informações do Governo do Estado do Rio de Janeiro