Empresas de ônibus da Grande Natal poderão demitir até 850 funcionários

Empresas de ônibus da Grande Natal poderão demitir até 850 funcionários

1 de abril de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

NATAL – O mês de abril começou movimentando o setor do transporte de passageiros em Natal e na Região Metropolitana, onde algumas empresas de ônibus que operam o serviço coletivo na Grande Natal, passaram iniciar o processo de demissão de centenas de profissionais. Acredita-se que até esta quinta-feira (2), cerca de 120 funcionários do setor estejam demitidos.

Com a redução de frota do transporte público orientada pelo decreto do governo estadual, devido à recomendação de isolamento social, a empresa Trampolim da Vitória, sediada em Parnamirim, confirmou nesta quarta-feira (1º) a demissão de 120 funcionários. O número representa 35% do quadro da empresa que é responsável pelo transporte público intermunicipal entre Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante.

O diretor executivo da empresa, Gino Costa, declarou que a redução da frota em operação e o fato de não poder transportar passageiros em pé “desequilibrou o sistema”.

“Antes de fazer qualquer rescisão contratual, a gente sempre pensa em conversar primeiro com fornecedores, com os bancos, através do financiamento dos veículos, para tentar suspender os pagamentos mensais. Mas nada disso é suficiente quando a gente está falando de custo fixo da empresa. Funcionários e impostos ligados a isso representam 50% do custo fixo”, contou Gino Costa, diretor executivo da empresa.

No total, 90 veículos estão sem circular e praticamente todas as áreas da empresa foram atingidas. Com a arrecadação reduzida, novas demissões poderão acontecer nos próximos dias. “Nós temos muita pena realmente de ter tomado essa atitude. A gente não tem como dizer se vai ser só isso, se vai ter mais cortes”.

Os desligamentos das empresas de ônibus, seguem ocorrendo por conta da pandemia do novo coronavírus, que vem esvaziando os ônibus urbanos, por conta do isolamento social, determinado pelo Ministério da Saúde, e a falta de incentivos dos governos estaduais e federal.

Acredita-se que até o final do mês de abril, aproximadamente 850 funcionários de todas as empresas de ônibus na Grande Natal, sejam demitidos, em razão da crise sanitária, que segue afetando diretamente a economia em todo o Brasil e o resto do mundo.

Uma reunião marcada as pressas, para esta quinta-feira (2), na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte – Sintro/RN, deve sinalizar para uma paralisação imediata do transporte de passageiros na região, para evitar mais demissões.

“Vamos reunir a comitiva em videoconferência e vamos tomar posição, mas minha posição é para parar todo o sistema”, afirmou Júnior, presidente da entidade.

Correndo contra o tempo, o setor empresarial do transporte tentam isenções de impostos municipais, estaduais e federais, para tentar seguir a diante com a operação ao longo da pandemia que ainda não possui prazo para acabar.

A Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste – FETRONOR, entidade que representa as empresas de ônibus, solicitou auxílio financeiro por meio de ofício ao Prefeito de Natal, Álvaro Dias, ao chefe do Gabinete Civil do Estado, Raimundo Alves, e ao presidente do Departamento de Estradas e Rodagens do RN, Manoel Marques. No pedido, a Federação alerta que os subsídios são necessários para que as empresas de ônibus continuem funcionando e para que mais funcionários não sejam demitidos.

Ainda segundo as empresas, a queda no número de viagens e em consequência a queda do faturamento foi de 90% na última semana, levando as demissões dos funcionários e ao pedido de ajuda feito ao poder público. Apesar do pedido feito, ainda não há resposta da Prefeitura do Natal e do Governo do Estado sobre auxílio financeiro ou subsídios para o segmento do transporte local.

A Prefeitura de Natal e o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, ainda não comentaram o assunto até a publicação desta reportagem.

Com informações do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte – Sintro/RN, Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste – FETRONOR, Inter TV e Portal Unibusrn