PR: Em 2019 ao menos, 44 ônibus de turismo foram assaltados nas rodovias do estado

PR: Em 2019 ao menos, 44 ônibus de turismo foram assaltados nas rodovias do estado

17 de fevereiro de 2020 Off Por revistadoonibus

CURITIBA – Um levantamento da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Rodoviária Estadual do Paraná, mostra que o ano de 2019, ao menos 44 ônibus rodoviários foram roubados nas estradas do Paraná, criando uma sensação de insegurança no transporte de passageiros e no segmento de turismo rodoviário.

Foto: Reprodução de TV

Ainda de acordo com o levantamento, desde o início de 2020, foram registrados 13 casos, sendo nove nas rodovias federais e quatro estaduais. Um deles foi em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, na BR-116. O trecho é o principal caminho utilizado pelos ônibus, que todos os dias partem do Sul do país para São Paulo.

Na maior parte dos casos, os passageiros viajam para fazer compras na Rua 25 de março ou na região do Brás. Segundo a polícia, muitos dos passageiros viajam com dinheiro vivo e acabam chamando a atenção dos criminosos. Os passageiros ficaram desesperados com os tiros.

Foto: Reprodução de TV

“Eles estavam muito agressivos, estavam dando tiros dentro do ônibus e agredindo as pessoas. Inclusive, eles me deram chutes. Foi horrível”, disse uma das passageiras, que preferiu não se identificar.

A maioria dos roubos é feita durante a noite, em trechos de subida, com muitas curvas, quando o motorista é obrigado a reduzir a velocidade. O risco é maior quando os ônibus cruzam a divisa de Santa Catarina e entram no Paraná, entre a BR-376 e BR-116.

Foot: Polícia Rodoviária Federal – Divulgação

São quilômetros com pouca iluminação e sem bases de apoio da concessionaria ou da polícia. No trajeto não tem sinal de telefonia. Nas chamadas áreas de sombra, celulares e rastreadores não funcionam. Todos esses fatores tornam a viagem extremamente perigosa.

O acesso fácil a estradas menores facilita a fuga dos assaltantes. Por tudo isso, esse trecho ficou conhecido como “rota do terror”.

Com informações da RPC TV e Polícia Rodoviária Federal