Primeira segunda-feira de fevereiro começa com problemas no BRT RIO

Primeira segunda-feira de fevereiro começa com problemas no BRT RIO

3 de fevereiro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – A manhã da primeira segunda-feira do mês de fevereiro, segue sendo de problemas para quem precisar utilizar os serviços no BRT Rio, que apresenta atrasos, superlotação e falta de informações nas estações e terminais instalados nos corredores trans oeste, trans carioca e trans olímpico.

Nas redes sociais, os passageiros que utilizam o serviço diariamente, mostra a triste realidade de um serviço ruim que está longe de melhorar. Der um lado, as pistas dos corredores que estão em péssimo estado de conservação, onde a Prefeitura do Rio, não melhora a situação e de outro, a prática de algumas empresas em não manter uma manutenção preventiva.

Procurado, o Consórcio BRT Rio deu os seguintes esclarecimentos:

Sobre a linha 51: Houve quebra de articulados em sequência, o que provocou irregularidade nos intervalos. A operação foi normalizada por volta das 9h.

Sobre a linha 41: Não foi registrado atraso de 40 minutos no Terminal Recreio. Em relação ao ar condicionado, lamentamos o ocorrido. Precisamos do número de ordempara verificarmos com a empresa o que houve com o articulado.

Sobre a linha 30: Precisamos saber quando e a que horas foram registradas as irregularidades nos intervalos para checarmos qual foi a causa.

Articulado com número de ordem 86843: A área operacional já está ciente do relato. Mas lembramos que as condições precárias das pistas, principalmente no corredor Transoeste, levaram à degradação precoce da frota e geraram impactos no dia a dia dos passageiros. Veículos que deveriam durar 20 anos acabam durando apenas 5, no Rio. Buracos, rachaduras, depressões e calombos nas pistas comprometem equipamentos e mecânica dos articulado e afetam diretamente a operação do BRT, causando riscos de acidentes. Os problemas mais recorrentes estão relacionados a pneus, rodas,suspensão, caixa de marcha e reservatório de óleo de motor.

ônibus vandalizado, sem ar: Sem o número de ordem, não podemos informar com exatidão o que ocorreu. Mas destacamos que o vandalismo é um problema diário no sistema BRT. Os articulados costumam ter os vidros das janelas quebrados, as portas e alçapões destruídos, os bancos arrancados e o acabamento interno danificado. Ao longo de 2019, foram 153 veículos depredados. Portas e alçapões não devem ser vandalizados para que o articulado se mantenha climatizado.


Procurada, a Prefeitura do Rio, foi argumentada sobre que ações vem realizando para melhorar as condições dos corredores expressos da cidade que seguem com problemas e buracos, assim como que tipo de fiscalização o governo municipal vem realizando nos ônibus expressos da cidade, até a publicação desta reportagem.