MG: Fiscalização da ANTT apreende ônibus clandestinos em Uberlândia

MG: Fiscalização da ANTT apreende ônibus clandestinos em Uberlândia

23 de janeiro de 2020 Off Por revistadoonibus

UBERLÂNDIA – Uma fiscalização a Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, acabou apreendendo dois ônibus rodoviários nesta quinta-feira (23). De acordo com a agência, nenhum dos veículos tinha autorização para a realização das viagens que realizavam. Ainda de acordo com a ANTT, transportavam crianças sem todas as documentações necessárias.

A ANTT informou que o primeiro veículo detido, da empresa Braúna, estava com 58 passageiros, e fazia o trajeto de volta de Caldas Novas para Belo Horizonte. O ônibus Double Deck equipado com chassi Scania 8×2, foi abordado na BR-050 e foi apresentada uma autorização que teria sido emitida pela ANTT. Porém, ao conferir no sistema, foi constatado que o documento foi elaborado para outra viagem ocorrida em dezembro, havendo alteração para que fosse utilizado no trajeto em execução.

Além da falta de autorização para a viagem, a fiscalização constatou a presença de menores sem documentação que comprove o parentesco com o responsável que o acompanhava. A situação gerou autuação, além do encaminhamento do caso para o juizado da infância e juventude para as medidas cabíveis.

Os documentos adulterados serão encaminhados para a Polícia Federal para apuração dos fatos. No total, a empresa foi autuada em R$ 20 mil.

Em relação ao segundo ônibus, a agência disse que o veículo da Nova Viação acabou detido, devido não estar com autorização para viagem, com o extintor sem condições de uso e também com crianças sem documentação. O veículo transportava 44 passageiros e teria saído da cidade Pilão Arcado no interior da Bahia e tinha como destino a cidade de São Paulo.

A equipe da ANTT, porém, não informou os valores das multas aplicadas a empresa Nova Viação.

A agência informou que os as empresas devem comprovar o prosseguimento das viagens de todos os passageiros por companhia devidamente licenciada para a liberação dos veículos, que ficarão apreendido pelo período mínimo de 72 horas.

As empresas autuadas na fiscalização, ainda não se manifestaram sobre os problemas apresentados pela ANTT, até a publicação desta reportagem.

Com informações da Agência Nacional de Trasportes Terrestres – ANTT