MS: Tarifa de ônibus em Campo Grande volta subir para R$ 4,10, após TCE suspender liminar

MS: Tarifa de ônibus em Campo Grande volta subir para R$ 4,10, após TCE suspender liminar

20 de janeiro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

CAMPO GRANDE – A partir desta terça-feira (21), moradores que utilizam os ônibus municipais de Campo Grande, voltarão pagar mais caro para se deslocarem entre os bairros da cidade, isso porque, o Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE/MS) suspendeu a liminar que barrou o reajuste da tarifa do transporte coletivo urbano de Campo Grande e o preço da passagem deve voltar a subir dos atuais R$ 3,95 para R$ 4,10.

A decisão foi divulgada na manhã desta segunda-feira (20), pelo conselheiro e presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, Waldir Neves, logo após a audiência de conciliação que discutia o contrato de concessão do transporte coletivo de Campo Grande.

O reajuste é o mesmo que foi determinando pela prefeitura em 27 de dezembro do ano passado e que foi suspenso no dia 7 de janeiro pela TCE/MS, em razão de irregularidades encontradas no contrato em inspeção realizada pelo órgão.

“Nós tomamos essa iniciativa de fazer a suspensão, baseado em alguns pontos levantados por nossos técnicos que apontaram algumas discordâncias no esclarecimento. Hoje com as informações prestadas pelo consórcio, com a participação da prefeitura e da Câmara de Vereadores uma série de informações vão ser esclarecidas. Nós vamos suspender essa liminar a partir de amanhã”, disse.

O presidente do TCE/MS diz que as instituições vão continuar a trabalhar em conjunto para melhorar em pontos que foram discutidos na audiência de conciliação e que em fevereiro deve ser apresentada uma proposta de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), para ser assinado pelo consórcio e o município.

O diretor-presidente do Consórcio, João Rezende, explicou que com a suspensão da liminar a tarifa do transporte coletivo de Campo Grande volta a ser reajustada para R$ 4,10.

“Baseada nessa reunião, rica de informações, se suspende então esse bloqueio e volta a tarifa de R$ 4,10 a partir de amanhã. E vamos continuar, a Agência de Regulação [Agereg], a Agência de Trânsito [Agetran] e o próprio Tribunal de Contas para elaborarmos um TAC, para que cheguemos um concesso para melhorias do transporte e não só com ações do consórcio, mas também da prefeitura, da Câmara, do Tribunal de Contas, para termos um ganho na transparência para que a sociedade sul-mato-grossense realmente tenha conhecimento do que se trata de um tema tão importante quanto transporte coletivo”.

Com informações do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, Prefeitura de Campo Grande e Tv Morena