Rio: Sem fiscalização empresa de ônibus oferece tarifa mais barata na Zona Oeste

Rio: Sem fiscalização empresa de ônibus oferece tarifa mais barata na Zona Oeste

13 de janeiro de 2020 Off Por Redação Revista do Ônibus

RIO – Com a falta de fiscalização mais intensa e eficaz, o transporte de ônibus e micro-ônibus no bairro de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, vira um verdadeiro mundo sem lei. Na manhã desta segunda-feira (13), o programa RJ1 da TV Globo mostrou a antiga prática de empresas de ônibus em reduzir o valor da tarifa que é de R$ 4,05 para R$ 2,90.

Foto: Reprodução – Tv Globo

O novo valor de R$ 2,90 é apenas para pagamento em dinheiro e trata-se de uma prática ilegal.

Em setembro do ano passado, a emissora já exibia o problema, onde os coletivos davam desconto para o pagamento na tarifa em dinheiro. Na época, a Secretaria Municipal de Transportes, ficou de coibir a ação. Já em novembro do mesmo ano, a prática ilegal, seguia mantida.

Naquela época, os funcionários das empresas de ônibus informavam que as promoções, era uma forma de as empresas de ônibus competirem com as vans que cobravam a tarifa mais barata.

Há ônibus cobrando a tarifa de R$ 2,90 e outro chegam a custar apenas R$ 2.

Foto: Reprodução – Tv Globo

Há passageiro que até pensa que está saindo no lucro. “Para mim, está ótimo! Pagar R$ 2, está uma maravilha”, disse um passageiro. Mas, há quem perceba a irregularidade da prática.

“Não é justo, tinha que ser igual pra todo mundo, entendeu? A passagem que tinha que ser um preço só, pra todo mundo”, observou o passageiro Pedro Paulo Felisberto.

Além de injusto, o que parece barato pode sair mais caro. Isso porque quando o passageiro paga a passagem em dinheiro, ele acaba perdendo o direito à integração. Ou seja, se tiver que pegar um segundo ônibus para completar a viagem, por exemplo, ele vai ter que pagar outra passagem de novo.

“É uma injustiça, né. Não é certo. Tem que ser cobrado o valor exato”, reclamou Flávia Pereira da Silva.

“Muitas das vezes, eu ando em pé. Chego cansada do serviço, trabalho no Maravilha, pego 8h, largo 5h, chego em casa só 7h da noite, cansada”, reclamou Ana Maria Lopes, que diz perder o lugar no ônibus para quem paga com dinheiro.

A Secretaria Municipal de Transportes informou que foram aplicadas 34 multas, na atual gestão, por promoção irregular na passagem de ônibus. Recentemente, fiscais fizeram uma ação no terminal de Campo Grande, onde flagraram quatro linhas (835, 838, 841 e SP841) cobrando preço abaixo do estabelecido, sem autorização.

O código disciplinar que deve ser respeitado pelas empresas de ônibus estabelece que a cobrança de tarifa com valor inferior ao determinado pelo órgão gestor, sem prévia autorização do mesmo, configura infração média e cabe multa.

A secretaria informou ainda que as ações de fiscalização seguem intensificadas. Será?

Com informações da Prefeitura do Rio e TV Globo